Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Adversária do Brasil na Copa, Colômbia é uma das economias mais atrativas para empreender

País tem chamado a atenção de investidores com crescimento econômico e estabilidade

Estadão PME,

02 de julho de 2014 | 06h34

O bom desempenho da Colômbia não se restringe apenas aos gramados da Copa do Mundo. A próxima adversária da seleção brasileira tem dado seus dribles também fora dos estádios e está provando para investidores estrangeiros que tem perfil de campeã para os negócios.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Se você ainda tem em mente aquele país sob o comando do narcotráfico de Pablo Escobar, saiba que muito mudou nos últimos anos. Os índices de violência caíram drasticamente e a economia, estável, desponta como um excelente lugar para empreender.

Os colombianos já perceberam isso. De acordo com a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), de 2013, 90,9% das pessoas entre 18 a 64 anos afirmaram que ser um empreendedor é uma boa opção de carreira. Dessa faixa populacional, 54,5% declaram que têm a intenção de montar o próprio negócio nos próximos três anos. Esse percentual é o maior registrado entre países da América Latina e Caribe.

Ainda não está convencido? O site Elite Daily preparou algumas dicas do porquê você deveria repensar o resultado do seu bolão e apostar na Colômbia, confira.

1) Custo de vida baixo

Gastos relativos a transporte e habitação na Colômbia são um grande atrativo. Um aluguel de apartamento no centro de Bogotá custa apenas US$ 245 por mês. Em São Paulo, esse valor não seria o suficiente nem para locar um quarto individual em algumas das regiões bem localizadas da cidade.

2) Destino “desconhecido”

Enquanto investir nos BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) já se tornou um lugar-comum entre empresários, os países CIVETS (Colômbia, Indonésia, Vietnã, Egito, Turquia e África do Sul) ainda são novidade. E quem chegar primeiro poderá desfrutar de benefícios como uma menor competitividade e a possibilidade de construir a lealdade entre consumidores.

3) População jovem

O país possui a terceira maior população da América Latina, cerca de 45 milhões de habitantes. A população também possui, em média, 28 anos. Essa faixa populacional jovem, de tamanho considerável, pode ser uma mina de ouro para empresários do ramo de tecnologias e gadgets. Além disso, cria-se oportunidade para obter mão de obra qualificada e relativamente barata.

4) Economia de vento em popa

O Produto Interno Bruto (PIB) do país tem crescido significativamente nos últimos anos. Em 2013, o resultado foi um aumento de 4,3% em relação ao ano anterior. O resultado brasileiro, em comparação, foi de 2,3% no período. A economia colombiana tem sido impulsionada pelo investimento estrangeiro e políticas do governo, além do aumento da demanda e da renda per capita. A inflação, aliás, está na faixa dos 2,5% no acumulado de 12 meses.

5) Parceiros comerciais

A Colômbia tem fechado parcerias comerciais importantes com os Estados Unidos e países da União Europeia e que devem estimular a economia nacional. Além disso, a Colômbia também assinou um acordo de livre comércio com a Coreia do Sul, que deverá se tornar uma das mais ricas economias do planeta nos próximos anos, segundo previsão do Citibank. O PIB per capita dos coreanos, por exemplo, deverá ultrapassar o dos americanos em 2050.

6) Melhorias do governo

Instabilidade, violência e corrupção são problemas que já não são mais predominantes no país. A taxa de sequestros na Colômbia, por exemplo, caiu 90% na última década. O índice de homicídios também recuou 46% no período. O presidente Juan Manuel Santos ainda recebeu o prêmio Shalom em 2012, do Congresso Judaico Mundial, por suas ações em prol da paz na Colômbia e no mundo.

7) Recursos naturais

A abundãncia de recursos não-renováveis teve um impacto substancial no crescimento econômico do país. A Colômbia possui a maior reserva de carvão, a segunda de óleo e a terceira de gás natural da América Latina. Com o crescimento de países como a Índia e a China mantendo os preços de commodities altos, os colombianos continuarão a ter um peso relevante na economia mundial. Além disso, a Colômbia também é o maior produtor de esmeraldas do mundo.

8) Universo online

Metade da população da Colômbia já tem acesso à Internet. São cerca de 22,5 milhões de usuários, um contingente superior à população do Chile. Com investimentos em inovação e infraestrutura, a outra metade também poderá ter acesso ao serviço, fazendo com que surjam grandes oportunidades para companhias com atuação online.

9) Pouca burocracia

A burocracia é uma das maiores vilãs de quem quer montar a própria empresa. E a Colômbia é o terceiro país mais fácil de se fazer negócios na América Latina, segundo análise do Banco Mundial.

10) Inovar para conquistar

A inovação é a arma da Colômbia para despontar no cenário econômico internacional. Medellin, historicamente relacionada ao cartel de Pablo Escobar, hoje é uma das cidades mais fortes na criação de produtos e serviços. Segundo análise do Citigroup, a taxa de inovação na cidade é superior à de Nova York e Tel Aviv.

Tudo o que sabemos sobre:
Estadão PMEColômbiaCopa do Mundo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.