Cris Castello Branco|Sebrae-SP
Cris Castello Branco|Sebrae-SP

'Abri uma fábrica depois de não gostar dos pirulitos da churrascaria'

Gilberto Magalhães começou sua fábrica de chocolate depois de não ter gostado dos pirulitos que viu em uma churrascaria

Sebrae-SP

03 de outubro de 2016 | 05h00

"Eu sempre gostei de criar. Meu foco principal sempre foi pegar os produtos, olhar, analisar e achar os defeitos. Costumo dizer que minha vida tem 56 anos de sonhos e vontade de ser empreendedor. Mas por uma loucura, comecei cursando engenharia química. Não demorou muito tempo para eu ver que isso não era o que eu gostava. Então fui fazer faculdade de propaganda e publicidade.

Depois de ter percorrido esses aspectos profissionais, e ter cada vez mais certeza de qual era meu foco, comecei a perceber que o que eu queria era fazer algo para mim. Mais especificamente, ter o meu próprio negócio. Vi que no empreendedorismo eu poderia fazer o que gosto, com muito mais liberdade de criação.

A minha fábrica de chocolates, a Pirulito Fantasia, nasceu em uma churrascaria. No local, vi vários pirulitos de chocolate que, para mim, eram horrorosos. Achei muito feios. Comprei um para ver os detalhes, e pensei: vou fazer melhor. Fiz um pirulito que nomeei como “divertidos”. Foi meu primeiro grande produto profissional.

Levei na mesma churrascaria dos pirulitos horrorosos e a partir de então comecei a empresa.

Rapidamente tudo começou a melhorar, a se expandir. Os pedidos aumentaram, surgiram novos clientes, e quando parei para pensar já atendia a sete churrascarias. Isso era a incrível marca de cerca de 1,5 mil pirulitos por semana. Eu já não estava dando conta, porque meu maquinário era apenas a geladeira e o micro-ondas da minha mãe. Coloquei os pés no chão e comecei a pensar nos próximos passos.

Naquele momento eu estava no anseio de informações e me apareceu o Sebrae-SP, com a primeira faculdade de empreendedorismo gratuito no País. Isso foi sensacional para quem estava querendo formalizar a empresa e caminhar de forma correta no empreendedorismo.

Prestei vestibular e passei. Depois de 30 anos sem estudar, eu não via mais limites. Estava com muita vontade e cheio de empolgação. Comecei na Fatec Sebrae, agora já estou terminando e tudo me ajudou muito. A minha empresa foi um dos primeiros projetos da escola, está caminhando bem, melhorando a cada dia desde o início do curso até agora.

Hoje, costumo dizer que não fabrico mais pirulitos de chocolate. Eu produzo alegria. Tudo que eu faço aqui na Pirulito Fantasias é pensando na imaginação das crianças. Porque o meu foco principal são, e sempre foram, as crianças. 

Por isso meus pirulitos de chocolate sempre vão ter marshmallow, balas de goma, M&Ms, sorrisos, cores, enfim, tudo que chame a atenção da imaginação infantil, despertando nela a alegria e magia de ser criança.”

Conteúdo originalmente publicado no Jornal de Negócios, do Sebrae-SP

 

Tudo o que sabemos sobre:
EmpreendedorismoSebrae

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.