A menina de 11 anos que transformou uma barraca de limonada em negócio de sucesso

Make a Stand Inc. reserva parte de seu faturamento para a causa da exploração infantil

Estadão PME,

03 de fevereiro de 2015 | 13h55

 

Vivienne Harr, uma menina de 11 anos que vive na cidade de Fairfax, nos Estado Unidos, ficou chocada ao ver na TV a imagem de duas crianças nepalesas realizando trabalhos forçados. A partir deste fato, ela decidiu montar uma pequena barraca e vender limonada a US$ 2. O dinheiro que conseguisse com as vendas seria doado para uma ONG que atua contra a exploração infantil.

A ideia começou a ficar famosa na região e chegou até os ouvidos do então prefeito da vizinha Nova York, Michael Bloomberg, que convidou a pequena empreendedora a abrir um estande na famosa Times Square.

O convite, porém, virou uma oportunidade de negócios e então surgiu a Make a Stand Inc., uma startup que, apesar de ter virado uma empresa de bebidas orgânicas com fins lucrativos, reserva 5% do seu faturamento para a causa contra a escravidão infantil no mundo.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Quem cuida da gestão da empresa é o pai de Vivienne, Eric Harr, um especialista em mídias sociais. Foi uma campanha no Twitter falando sobre a ideia da filha que ele conseguiu atrair as atenções para o negócio da Make a Stand.

Em uma campanha de financiamento coletivo, a empresa arrecadou US$ 982 mil para começar a operação e 128 lojas fecharam acordos de venda com a empresa em função do perfil de negócio adotado pela família Harr, que é o de propósito específico.

No site da empresa, consumidores podem comprar as limonadas orgânicas vendidas pela empresa pagando o que quiserem. 

Tudo o que sabemos sobre:
EmpreendedorismoStartupLimonada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.