A ideia não é estourar. Vamos crescer, mas bem aos poucos, afirma criador da cerveja Birits

A ideia não é estourar. Vamos crescer, mas bem aos poucos, afirma criador da cerveja Birits

Estratégia da Brassaria Ampolis revela uma atual tendência do empreendedorismo brasileiro

ESTADÃO PME,

13 de agosto de 2013 | 06h35

 O Brasil deixou para trás o empreendedorismo por necessidade - quando a pessoa perde o emprego e, por falta de encontrar outra colocação no mercado início um negócio - e faz alguns anos passou a integrar o grupo de países onde as pessoas empreendem por oportunidade - acham um mercado interessante, criam algo novo, e seguem em frente com a ideia. E essa tendência desembocou em outras duas - os empresários dispostos a crescer a todo custo e aqueles que pensam em galgar espaço aos poucos, o chamado crescimento orgânico.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Exemplos para as duas tendências não faltam. A Maria Brigadeiro, por exemplo, é um tipo de empresa que evita os riscos do crescimento a todo custo. E essa tendência parece ter sido adotada pelos idealizadores da cerveja Biritis - a já famosa homenagem do filho Sandro Gomes ao seu pai, o humorista Mussum.

A simples notícia do lançamento da cerveja ganhou espaço rapidamente nas redes sociais. Por isso, diante de tanto barulho, poderia se esperar que os idealizadores da Brassaria Ampolis, responsável pelo projeto, saíram ao mercado em busca de aumentar a produção da cerveja. Não parece ser essa a estratégia.

"Inicialmente vamos estar no Rio de Janeiro e São Paulo. Estamos começando bem devagar, a intenção não é estourar. A gente está preocupado com a responsabilidade com os pontos de venda para ir percebendo a reação do pessoal. Aí, se der para crescer com isso, a gente vai fazer, mas bem aos poucos mesmo", afirmou Sandro Gomes. Filho do humorista Mussum, ele é um dos idealizadores do projeto ao lado de Diogo Mello e Leonardo Costa.

A preocupação dos empreendedores parece, realmente, ser com a qualidade. "Quando topamos fazer, procuramos nos cercar  das melhores pessoas, até para linkar a marca, muito forte, com um produto de extrema qualidade", concluiu Sandro, em entrevista para a Rádio Estadão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.