Reuters
Reuters

A estratégia dos grandes: Starbucks fecha parceria com Google por Wi-Fi de alta velocidade

Rede de cafeterias vai ampliar em dez vezes a velocidade de sua internet nas unidades dos EUA

Estadão PME,

31 de julho de 2013 | 16h34

A Starbucks divulgou nesta quarta-feira, 31, uma parceria com o Google para ampliar em pelo menos dez vezes a velocidade de sua internet Wi-Fi nas unidades da rede, nos Estados Unidos.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Segundo a empresa, o acordo com o gigante grupo de mídia norte-americano vai impactar nas mais de 7 mil lojas da cafeteria pelo país. O processo tem previsão para começar em agosto e deve ser concluído em até 18 meses.

De acordo com Adam Brotmanm, diretor executivo da área de tecnologia da Starbucks, a estratégia por trás da parceria é turbinar justamente uma das principais ofertas da marca para seus clientes, a infraestrutura de internet, ferramenta que reforça o consumo de seus produtos tradicionais nos balcões, sofás e pufes espalhados pelas lojas.

"Todos os dias, nossos consumidores contam com nossa Wi-Fi gratuita para estudar, trabalhar, se conectar com os amigos ou apenas relaxar. Nós queremos deixar claro que eles podem acessar a web sem esforço e rapidamente, não importando o que estejam fazendo ou qual o tipo de dispositivo estão utilizando", afirma, em nota, o executivo.

Trocando em miúdos, o projeto de ampliação da estrutura de Wi-Fi da Starbucks, uma das líderes globais no segmento, sinaliza para os demais empresários do ramo a importância que tem hoje a internet como diferencial competitivo frente aos concorrentes.

Isso pode e deve ser levando em consideração sobretudo para quem atua no ramo aqui no Brasil, onde o consumo do cafezinho fora de casa cresceu acima dos 300% nos últimos oito anos, segundo a Associação Brasileira da Indústria do Café (Abic). Ainda de acordo com a Abic, o café é consumido por 97% da população brasileira, só perdendo para a água em termos de penetração.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.