Henrique Lenza/Endeavor/Divulgação
Henrique Lenza/Endeavor/Divulgação

A aventura pode ser louca, desde que o aventureiro seja lúcido, diz Washington Olivetto

Confira a série de vídeos do Day1, evento promovido pela Endeavor para os empreendedores contarem seus pontos de virada

Endeavor,

09 de dezembro de 2014 | 07h07

 

O primeiro sutiã a gente nunca esquece. O garoto da Bombril e suas mil e uma utilidades também não. O cachorro da Cofap eu também queria ter. E o casal do Unibanco…Ahh que amor de banco! Quem não se lembra das memoráveis campanhas do Washington Olivetto? Por essas e outras façanhas foi eleito o publicitário do século, juntou sua famosa agência W Brasil com o Grupo McCann e hoje preside a WMcCann.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Apaixonado pelo pai vendedor e pela escrita, Washington Olivetto logo encontrou o lugar para conciliar suas paixões: o mundo da propaganda. A geração anterior de publicitários já tinha profissionalizado a atividade no Brasil, preparando o terreno para os grandes talentos. E Olivetto era um deles.

Um pneu furado foi seu Day1. Com o carro parado na porta de uma agência, ele pensou em buscar ajuda, mas logo lhe ocorreu pedir um estágio. Conseguiu. Um mês depois foi contratado e com apenas 18 anos virou redator. Três meses depois escreveu o primeiro comercial de TV para a Deca. Seu cliente até hoje.

O comercial foi inscrito no Festival de Cinema de Cannes. E ganhou um Leão de Bronze. Relembrando sua história, Olivetto conta: “um ano depois, muito garoto, fui trabalhar na DPZ, onde fiquei 14 anos e foi a minha escola. Não tenho dúvida de que ficar muito tempo numa boa empresa antes de abrir o seu negócio é muito bom porque você só vai aprender.”

Quando percebeu que já tinha feito de tudo na DPZ, resolveu criar a sua própria agência. Ele afirma que fazer o próprio negócio, no fundo, é fácil, é como se você estivesse em cima de uma grande montanha e tivesse que passar para a outra. A distância é de apenas 30 cm, mas na hora você só vê o buraco.

Olivetto já tinha ganho muitos prêmios com grande reconhecimento internacional. Queria agora fazer sua agência com formato muito diferente. Pensou em se associar com uma empresa internacional, procurou uma agência europeia e propôs juntar o nome dele com a GGK. Criou-se a WGGK, que teve grande sucesso. Mas a GGK tinha poucos clientes operando no Brasil e todo o crescimento da agência vinha da equipe brasileira.

Dois anos depois Olivetto entendeu que eles não eram os sócios mais adequados e se uniu com dois dos melhores funcionários da agência. Com eles fundou a W/Brasil. E o mago da propaganda revela seus segredos: “teve um truque que eu recomendo a todos que forem empreender. A vida toda enquanto empregado sempre me comportei como dono, assumindo responsabilidades e riscos. No dia em que virei dono passei a me comportar como empregado, com humildade do profissional que está aprendendo.”

E depois de receber todas as propostas do mundo para vender a W, buscou novamente uma sociedade com um grupo internacional. E propôs à McCann uma fusão que incluiria até o W, mantendo a ideologia inicial. Só trabalham para a iniciativa privada e são perfeccionistas.

O resultado de toda essa trajetória você pode ver no vídeo do Day1, onde Olivetto conta essa e outras histórias da propaganda brasileira. Porque ele realmente escreveu alguns dos melhores capítulos dessa história. Mas ainda pensa que está só começando, e afirma: “A aventura pode ser louca, desde que o aventureiro seja lúcido.” 

Confira o vídeo do Day1, evento promovido pela Endeavor para os empreendedores contarem os “pontos de virada” que transformaram suas formas de enxergar o mundo.

Essas informações foram publicadas originalmente no portal da Endeavor.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.