8 ensinamentos de Bruce Dickinson para sua vida e seu negócio

Além de músico, o vocalista do Iron Maiden tem extensa experiência em empreender

Estadão PME,

20 de fevereiro de 2015 | 12h35

O vocalista da banda de heavy metal Iron Maiden, Bruce Dickinson revelou nesta semana pela página oficial da banda no Facebook que passa por um tratamento de quimioterapia e radioterapia para tratar um câncer na língua. A doença foi diagnosticada em exames de rotina no fim de dezembro do ano passado e foi mantida em segredo até agora. A boa notícia é que o diagnóstico foi precoce e Dickinson tem grandes chances de se recuperar com sucesso.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + :: 

Além das notas altíssimas que alcança com a voz, Dickinson é conhecido por ser um empreendedor inquieto. Considerada por muitos a banda de heavy metal mais emblemática de todos os tempos, o Iron Maiden conta hoje com uma marca de cervejas produzida na Grã Bretanha, a Trooper Premium British Beer, e com uma série de camisetas em parceria com times de futebol e, claro, a imagem de Eddie, símbolo da banda. Com essas e outras iniciativas, Bruce trouxe à tona algumas lições de empreendedorismo para quem deseja investir. Conheça algumas delas a seguir.

1. Senso de oportunidades

Com o sucesso absoluto do consumo de música por download e streaming, o Iron Maiden, assim como diversas outras bandas, viu as vendas de discos despencarem. Para seguir fortalecendo a marca da banda e angariar mais fãs, Bruce Dickinson decidiu associar o Iron Maiden a produtos que não envolvem música. Uma investida de sucesso de público e vendas foi as camisetas especiais que a banda lançou durante a Copa do Mundo.

2. Diversificar é o caminho

Firme no objetivo de aliar o Iron Maiden a produtos que envolvem o universo dos fãs, Bruce criou uma cerveja que leva o nome da banda e que se tornou sucesso em todo o mundo, inclusive no Brasil. “Pensamos, o que as pessoas fazem quando elas escutam música? Bebem cerveja!”, concluiu o músico na época do lançamento. Nos primeiros meses após o início das vendas, a cerveja Tropper, que leva o nome de um dos maiores sucessos da banda, tinha uma demanda de cerca de 16,6 mil unidades por dia no Reino Unido.

3. Qualidade

Ao pensar a cerveja Trooper, Dickinson primou pela qualidade. Entusiasta do tipo ale, decidiu estabelecer uma parceria com a microcervejaria artesanal inglesa Robinsons, especialista em produzir cervejas premium do gênero. Em cinco meses, de vendas a Robinsons anunciou ter exportado mais de um milhão de garrafas da cerveja Tropper.

4. Mente inovadora

Além de vocalista de uma das maiores bandas de heavy metal da atualidade, Bruce também é piloto de avião e de trem, apaixonado por história e esgrimista. Sem contar a sua faceta empreendedora, que se tornou investidor-anjo para fomentar startups. Em uma vinda ao Brasil para a Campus Party, o inglês fez declarações esclarecedoras, como: “Para uma startup chamar a atenção, ela precisa ter boas ideias e ser realista. Precisa ter fãs e não clientes”.

5. Preocupação com o consumidor

A relação ideal que Dickinson deseja ter com os consumidores dos produtos da marca Iron Maiden é bem semelhante à que construiu com os fãs da banda. “Ninguém quer ter clientes. Eu odeio clientes porque eles têm escolha, podem sempre ir para outro lugar. Precisamos ter fãs”, disse Bruce. Segundo ele, as empresas precisam criar uma relação próxima com seus consumidores, como uma banda. “Você não vende um produto, você vende um relacionamento com o consumidor.”

6. Pés no chão

A inclinação empresarial de Dickinson sempre o levou para empreitadas seguras e com grande possibilidade de retorno. Para ele, o aspecto mais atrativo de uma startup é a valorização de uma boa ideia e o baixo custo, porém, é preciso manter o realismo diante do sucesso. “O que mata muitas startups é que a primeira coisa que elas pensam é em qual será a cor dos móveis do escritório. Não adianta ter um escritório chique e depois quebrar por não ter controle disso”, opinou.

7. Determinação

Bruce também propagou a máxima dos empreendedores ao redor do mundo: quem quer empreender deve colocar sua ideia em prática, sem pensar muito nas dificuldades. “Quando você está envolvido com algo, você usa todos os recursos que estão a seu dispor”, diz. Mas, apesar de incentivar o sonho, Bruce também disse ser importante uma boa dose de realismo.

8. Autodidatismo

Apesar das diversas especializações de Bruce -- que envolvem comentarista de um programa de rádio na estação digital BBC 6Music, autor best-seller de ficção e apresentador do Discovery Channel e do Sky One -- ele acredita que a educação formal tem um peso pequeno no sucesso de um negócio. “Você pode ensinar macacos a ter um MBA” afirmou em sua participação na Campus Party no ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.