JB Netto/AE
JB Netto/AE

6 dicas para você descobrir se uma franquia vale a pena (ou se você está preparado para o negócio)

Afinidade, dinheiro disponível e investigação do desempenho da rede são ações obrigatórias para o candidato a empreendedor

ESTADÃO PME,

11 de fevereiro de 2012 | 08h14

Abrir uma franquia deixou de ser faz tempo uma escolha fácil. Basta usar como argumento um número: apenas no ano passado, o setor ganhou 185 redes. A estimativa é da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Por isso, para facilitar a vida dos nossos leitores, o Estadão PME, com a ajuda do Sebrae-SP, preparou uma série de dicas que podem ajudar o candidato a empreendedor a escolher um negócio deste tipo. E mais: as sugestões podem ajudá-lo, também, a descobrir se você está preparado para abrir uma empresa neste modelo.

Antes de mais nada, você está preparado?

Abrir e administrar uma franquia não é apenas uma questão de vontade, embora ela seja importante. É preciso mais do que isso. Qual a sua capacidade de investimento? Em outras palavras: quanto de dinheiro você reservou para a empreeitada? Você conseguirá ficar à frente do negócio ou pensa em colocar alguém para administrá-lo? A franquia pretendida tem a ver com a sua história de vida, com a sua área de atuação?

Você já estudou o mercado?

O Sebrae-SP, em sua seção de perguntas e respostas, recomenda ao candidato a empresário a realização de um estudo de mercado como ponto de partida para a escolha de uma franquia. Há espaço para um empreendimento deste tipo no local em que você pretende abri-lo? Como tem sido o desempenho do franchising escolhido: bom, aceitável, ruim? Enfim, essas são perguntas obrigatórias antes de investir seu dinheiro.

>> TV PME: vídeo com mais dicas

O que você gosta não vale

De acordo com os especialistas do Sebrae, o empreendedor precisa resistir a tentação de escolher um negócio que vende produtos ou serviços que ele consome ou tem preferência. Isso não é indicativo de sucesso da empresa, afirma a entidade.

Diferencie ou morra

Em uma empresa convencional, o administrador tem liberdade de buscar a todo momento iniciativas inovadoras para diferenciar produtos ou serviços oferecidos. Em uma rede de franquias isso é mais complicado, pois são os donos da marca que adotam ações conjuntas e comuns para todas as unidades do negócio. Por isso, preste atenção: quais são os fatores que diferenciam o negócio que você pretende abrir? É a marca forte? É a qualidade do produto? Mais: essa diferenciação é forte o bastante para superar a concorrência?

Converse com franqueados

Conversar com quem já possui uma franquia da marca é uma estratégia muito interessante para você identificar os pontos fortes e fracos do negócio, o que o ajudará na tomada da decisão. Neste encontro, por exemplo, você poderá obter uma visão realista sobre os benefícios e problemas que envolvem a abertura de uma franquia.

Quanto de dinheiro vou precisar?

A questão mais delicada no momento de abrir uma franquia, entretanto, é descobrir quanto de dinheiro envolverá a empreeitada. Por isso, não saia às compras antes de responder a uma pergunta: quais são todos os custos envolvidos no processo? Isso significa, por exemplo, descobrir quanto de dinheiro será usado na aquisição - ou aluguel - do ponto de venda. Esse custo quase nunca é contemplado nas informações disponíveis nos sites das redes ou da associação que representa as franqueadoras.

>> Exemplo de sucesso

Mas mesmo depois de conseguir respostas para essas perguntas, o candidato deverá saber que precisará de muito esforço e dedicação para transformar a franquia em um negócio de sucesso. Pelo menos é o que garantia o bom desempenho obtido pela empresária Janaína Brito de Andrade, de 28 anos, no meio do ano passado. Na época, ela contou que adquiriu uma unidade da clínica de estética Emagrecentro já em funcionamento na cidade de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. O espaço só dava prejuízo, embora a previsão de retorno fosse de seis meses.

Em dois meses à frente do negócio, Janaína, que antes era representante comercial, não só obteve o retorno do seu investimento como também dobrou o faturamento esperado (cerca de R$ 30 mil). Em três meses, o lucro triplicou. E em seis meses ela abriu outra unidade.

Esses resultados foram fruto de melhorias feitas pela empreendedora, como a reforma da fachada, a distribuição de vales para degustação dos serviços oferecidos, a publicação de anúncios em jornais e outdoors da região e a instalação de música nos ambientes das clínicas.

Tudo o que sabemos sobre:
FranquiasdicasABFJanaínaEmagrecentro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.