As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Os segredos das grandes empresas inovadoras

Ligia Aguilhar

01 de novembro de 2011 | 07h00

Ligia Aguilhar

Na última quinta-feira, 27, alguns dos mais importantes empresários e empreendedores do País participaram do CEO Summit 2011, evento organizado pela Ernst & Young Terco e a Endeavor, para discutir os desafios e as melhores práticas de gestão de empresas com alto potencial de crescimento.

Entre os muitos temas discutidos no encontro estava a inovação. Confira abaixo as estratégias de  quatro grandes empresários para tornar suas empresas mais inovadoras.

Rubens Menin , da MRV Engenharia, criou um programa que premia boas ideias

Em 1979, quando criou a MRV Engenharia, Rubens Menin sonhava em tirar da construção civil seu caráter artesanal e construir casas e apartamentos no mesmo ritmo em que se fabricam produtos em uma linha de produção. Ao longo de 32 anos de história, a MRV se concentrou em desenvolver processos que aumentassem cada vez mais a produtividade e ajudassem a empresa a ampliar a sua área de atuação. Hoje,  fatura R$ 3,7 bilhões, é a maior construtora e incorporadora do País e está presente em mais de 100 cidades brasileiras.

Para garantir que o negócio continue à frente do mercado, Menin criou um programa que premia as melhores ideias para aperfeiçoamento ou criação de processos e produtos. Segundo ele, 2 mil ideias já foram premiadas até agora e o programa tem sido uma das ferramentas mais importantes para a empresa continuar inovando.

Márcio Utsch, da Alpargatas, acredita que  todos os funcionários devem colaborar com novas ideias

Inspirada em uma sandália japonesa feita com tiras de tecido e solado de palha de arroz, a Havaianas se tornaram um símbolo da inovação da indústria brasileira. A sandália feita de borracha foi lançada em 1962 e se tornou famosa no mundo inteiro. Em 1980, já eram vendidos 80 milhões de pares por ano. “Inovar não é só inventar algo novo, mas também trabalhar um produto de forma nova”, diz Utsch. Para ele, mesmo tendo um departamento destinado à inovação, as empresas devem estimular a contribuição de todos os funcionários na elaboração de novas ideias.

Maurício Botelho,  da Embraer, diz que a inovação nasce em ambientes desafiadores

Para o ex-presidente da Embraer, a cultura da inovação deve fazer parte das empresas. Para isso, o ambiente deve estimular as pessoas a expor suas ideias sem medo. “Uma administração mais aberta é mais estimulante e permite mais graus de inovação na empresa”, afirma. Para ele, não existe o desenvolvimento de uma equipe responsável por inovar. Essa responsabilidade deve ser da empresa como um todo.

Embora prefira gestões mais abertas, Botelho acredita que o grau de exigência nas empresas deve ser alto e o planejamento, ousado e desafiador. “O trabalho tem que ser tenso, porque as pessoas respondem a isso com grandes resultados”, diz.

Luiz Seabra, da Natura, inovou ao criar uma forma de particularizar um produto

Uma das inovações da empresa foi desenvolver uma nova linguagem para vender seus produtos de forma a criar uma ligação emocional  com o  consumidor. “Eu busquei a minha maneira de dar uma cara diferente para mais um creme semelhante a tantos outros que existem no mundo”, diz Luiz Seabra, fundador da marca.  Para ele, a criação de valores e conceitos que particularizem a empresa são essenciais para sustentar a longevidade de um negócio.

Quer saber mais? O Estadão PME fez um especial contando como grandes empreendedores criaram empresas de sucesso.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: