As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Empresa desenvolve aplicativo que avisa quando usuário está em risco

Ligia Aguilhar

20 de janeiro de 2012 | 08h59

Ligia Aguilhar

Um aplicativo inovador criado por uma empresa mineira promete melhorar a segurança e ajudar usuários de smartphones em casos de violência.  Desenvolvido pela holding Invit Negócios Inovadores em parceria com a Universidade Federal de Uberlândia (UFU) o Agentto foi desenvolvido para que qualquer pessoa possa avisar familiares e amigos sobre algum perigo.

Por meio de movimentos no aparelho celular, a vítima pode emitir um alerta para avisar sua rede de confiança que passa por algum problema, como um acidente de trânsito, agressão  ou incêndio.  A empresa recebeu a maior subvenção já concedida pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) para o desenvolvimento de software, no valor de aproximadamente R$ 10 milhões, para desenvolver o Agentto. O aplicativo ainda está em fase de testes, mas a partir da segunda quinzena de fevereiro poderá ser baixado gratuitamente em aparelhos com sistema operacional  Android 2.2 ou superior, Windows Phone e iPhone.

Segundo o diretor-executivo da Invit, Sérgio Paim, há vários níveis de alerta. Um deles permite o envio de um pedido de socorro junto com um mapa que vai mostrar para o destinatário a posição da pessoa que está em perigo.O destinatário poderá ainda receber fotos, áudios e vídeos enviados por quem pediu ajuda. Quem receber o pedido poderá usar as informações para acionar a Polícia Militar ou o Corpo de Bombeiros, por exemplo.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::
:: Twitter ::
:: Facebook ::
:: Google+ ::

Outro sinal de alerta é o “Pânico Silencioso”, por meio do qual o usuário poderá emitir o pedido de socorro com um toque na tela. O destinatário da mensagem receberá um link e uma senha para visualizar um mapa com a posição da pessoa em perigo.  “A empresa realizou várias pesquisas de desenvolvimento de produto. Nelas confirmamos a grande aceitação da solução pelos consumidores”, explica Wladimir Rezende, diretor do produto

Estabelecimentos comerciais que são vítimas de assaltos constantemente, também poderão usar o aplicativo, conectando o Agentto a um computador e utilizando um  acessório que capture interfaces (Kinect). Com alguns gestos o sistema vai poder detectar uma movimentação fora do comum e poderá acionar um alarme, pedindo socorro à empresa de segurança ou para a polícia.

Os desenvolvedores do aplicativo estão considerando ainda questões éticas, para evitar fraudes ou envio de informações equivocadas, como o bloqueio ou expulsão do usuário que fizer brincadeiras de mau gosto.

* Com informações da Agência Sebrae de Notícias

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: