Você sabe mesmo liderar um time, uma empresa?

Daniel Fernandes

17 de junho de 2013 | 07h26

Pedro fala sobre como liderar

Todos somos líderes! O líder “tem que ser primeiro líder de si próprio e isso vem de dentro”. Ser líder é um aprendizado contínuo de si através da sensibilidade da transformação do outro. É saber o talento do outro e assim usá-lo nas horas certas para estimular principalmente a auto liderança.
Em setembro de 2011, convidei a Iris Lo Buono, responsável por T&D comercial, para compilar numa brochura as melhores histórias do nosso jornal interno e publicar para o Natal como um reconhecimento aos funcionários e clientes.
O estímulo estava lançado!
Foi aí, que no dia seguinte, ela me disse que iria além, iria escrever o primeiro livro da empresa. Estava na mão dela fazer ou não. Em 43 dias o livro estava pronto. Ela era responsável pela área de comunicação, mas diagramar um livro inteiro é outro desafio.
Mas eu sabia que ela gostava de escrever e aquele trabalho naquele momento lhe faria muito bem! Foi lindo ver a transformação dela. Veja dentro da tua empresa, dos teus colaboradores se existe algo para desafiá-los além do trabalho, algo que lhe dê muito prazer e veja a transformação.
Sempre traz algo de muito bom para a empresa mesmo se for algo não diretamente ligado ao trabalho da pessoa.  Esse livro trouxe e ainda traz alguns importantes prospects para a empresa. Esse exemplo, “de dar um pepino e a pessoa  encarar como um delicioso desafio”, ilustra como podemos usar vários estímulos para treinar a liderança, mas existe uma habilidade crucial para o líder que é a comunicação.
É através dela que se delega e principalmente se inspira para o prazer do trabalho bem feito. Quando nos comunicamos transmitimos uma mensagem e muitas vezes esquecemos que ela sempre, sempre vem carregada com emoção.  Então, o primeiro “treino” é estar muito atento às emoções transmitidas ao passar uma mensagem.
A emoção é muito sutil e é sempre a primeira a ser percebida, mesmo antes da razão, e assim o jeito e a carga emotiva na mensagem, com certeza, pesam muito mais do que  foi propriamente dito.  A sensibilidade do contexto então é um aprendizado muito importante para qualquer pessoa no papel de líder ao comunicar-se.
Sensibilidade para sentir a emoção do outro e assim ser mais preciso ao transmitir a mensagem.  É transmitir uma mensagem objetiva com a emoção necessária para aquela mensagem e que se encaixe na emoção do receptor. Com certeza a mensagem será mais bem “sentida” quando recebida e com certeza melhor entendida.
Comunicar-se de forma efetiva e afetiva é uma importante habilidade na liderança.  Mesmo que você não esteja no papel de delegar algo faça um exercício: fale alguma coisa séria com alegria e sorrindo para alguém e veja a confusão que dá. Viu? Isso acontece o tempo todo com diversas emoções e passa diversos sentimentos. Quantas vezes uma pessoa fala algo bom, mas o jeito, a emoção embarcada faz com que as pessoas recebam aquilo como algo negativo.
O jeito de falar transmite emoção e esta é a primeira impressão que fica. Enfim, liderar é uma delícia de aventura de aprendizados de si mesmo e se estamos atentos ao momento do outro como pessoa, lançando desafios criativos para estimular a auto liderança os resultados aparecem, mesmo que sejam no âmbito pessoal e que no longo prazo contagiam também o profissional. E ao desafiar o fazemos através de uma mensagem efetiva afetivamente teremos uma liderança transformadora por líderes que inspiram.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.