Vai valer a pena fazer fila na porta das lojas da Apple?

Daniel Fernandes

04 de setembro de 2014 | 16h21

O que todo empreendedor deseja – seja ele pequeno, médio ou grande – é que seus produtos sejam tão desejados, mas tão desejados, a ponto dos clientes fazerem fila na porta da sua loja. É exatamente o que – quase sempre – aconteceu com a Apple. Todo lançamento de produtos da empresa norte-americana, sempre cercado de mistério, é seguido pelas imagens de filas nas portas das lojas.
Fenômeno semelhante já começa a acontecer em Nova York, onde um principio de fila começa a se formar. (Boa) parte desse fascínio ocorre por conta do modelo de negócios da empresa. A Apple, como bem escreveu o colunista do Estadão Renato Cruz, desenvolve produtos, o software para eles e o serviço. Evita, dessa forma, possíveis conflitos. E esses problemas, invariavelmente afetariam a experiência de consumo dos produtos da empresa.
Por causa dessa experiência, e pela tremenda carga de inovação, outra lição importante para os empreendedores que começam agora, a empresa despertou essa ‘necessidade’ no consumidor. Fazer filas. Adquirir o quanto antes os produtos da marca idealizada por Steve Jobs.
Mas a junção entre experiência nota 10 e inovação disruptiva, fazia com que os consumidores também pagassem caro pelos produtos. E isso começou a mudar.  Muitos consumidores tem optado pelas versões anteriores dos produtos da marca. São mais baratos do que as novidades anunciadas com pompa e circunstância. Não há números referendando essa percepção. Mas olhe ao redor,  veja se você não conhece alguém, faça o teste…
Por conta desse fenômeno, fica a questão: vale a pena fazer fila antes de saber ao certo o que a empresa vai lançar?
Essa pergunta, na versão ‘estamos lançando os melhores produtos do mercado?’ deve estar atormentando os executivos da companhia. E essa pergunta, claro, deve atormentar todo empreendedor que pretende se dar bem no mercado.
Daniel Fernandes é editor do Estadão PME
 
 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: