Uma ONG para atender os cachorros idosos

Daniel Fernandes

01 de agosto de 2013 | 07h45

Adriane também se despede hoje

No mundo empreendedor há necessidade de inovação sempre, até porque seu negócio é novo por um curto espaço de tempo. Nada se cria, tudo se copia…
A minha ideia surgiu de uma necessidade própria e, depois de ver como funcionava isso fora do Brasil, montei a minha empresa. Os serviços prestados vão se aprimorando com o passar do tempo. Você vê o que funciona bem, o que deve ser cortado e o que podemos incorporar em nosso dia-a-dia. Até eu precisar do serviço de babá para cães eu não sabia como era o mercado.
Quando eu procurei, em novembro de 2010, foi muito difícil encontrar. Já comentei isso em outro post, e foi aí que percebi uma demanda no mercado que estava carente de um serviço. Atualmente já existem várias pessoas que prestam esse serviço. Ainda não vi nenhuma empresa constituída com CNPJ e que paga impostos fazendo isso, daí a concorrência é complicada.
Só quem tem uma empresa constituída sabe os custos que enfrentamos em nosso país a cada emissão de nota fiscal. Devemos procurar sempre um diferencial. Na Nannydog o diferencial está no perfil dos colaboradores: todas são medicas veterinárias, por isso podemos oferecer um serviço mais amplo. Com quase dois anos de empresa já é hora de inovarmos. Estamos desenvolvendo uma ONG, voltada para atendimento especial dos nossos melhores amigos idosos (velhos amigos).
Os nossos velhinhos precisam muito de cuidados especiais.  Será um serviço com atendimento veterinário 24 horas, ofereceremos ainda muito carinho, amor e paciência para que eles se sintam amados e respeitados.
Já estamos com alguns parceiros nessa nova etapa. A Dogtown Photography é um deles. Estamos produzindo um material lindo com nossos clientes de quatro patas para que possamos arrecadar fundos para ajudar a realizar nosso projeto. Se você tem um amiguinho velhinho escreva pra gente (adriane@nannydog.com.br) e conte sua história.
Queremos saber quais as necessidades de seu melhor amigo!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: