Um convite para o apartamento onde surgiu o Alibaba

Daniel Fernandes

13 de novembro de 2014 | 10h03

Jack Ma é o homem mais rico da China. Ele e a empresa que ajudou a criar, o Grupo Alibaba, tornou-se notícia em todo mundo – mais uma vez – por conta do avassalador IPO na Bolsa de Nova York. A ação resultou em US$ 25 bilhões. Agora, Jack Ma convida quem quiser para a sua sala, no apartamento em que começou a empresa que transformou-se no maior e-commerce do planeta.
::: Leia também :::
Jack Ma não gostava de matemática
Na verdade, é preciso deixar claro, quem faz o convite é Porter Erisman, diretor e roteirista do documentário Crocodile in the Yangtze. O filme mostra os primeiros anos do Alibaba, quando o site não era o que é. E Jack Ma era apenas um ex-professor de inglês.
O documentário mostra uma visão intimista de um empreendedor – boa parte dos momentos decisivos da organização foi filmado e Erisman teve acesso a essas imagens. No site oficial do filme, explica-se a produção como um documentário ‘sob o ponto de vista da mosca na sala’.
Erisman, que trabalhou no Alibaba, afirma que a motivação para produzir Crocodile surgiu porque ele sentia ter testemunhado uma história inspiradora. “Eu estava em uma posição única de compartilhar isso com outras pessoas. Eu assisti como uma companhia chinesa criada por professor de inglês cresceu de um apartamento para se tornar uma companhia global.”
Daniel Fernandes é editor do Estadão PME e nunca comprou nada no Alibaba. Trata-se de um desvio de conduta grave?

Tudo o que sabemos sobre:

Blog do EmpreendedorEstadão PME

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: