Um cão miniatura passeando com um Golden. Um deles vai voltar frustrado para casa

Daniel Fernandes

17 de janeiro de 2013 | 08h35

Adriane mostra como a motivação e a observação são importantes

Criar muitas expectativas geralmente leva a frustração em qualquer setor, seja profissional ou pessoal. Mas como é impossível viver sem elas, tento ser o mais prática e realista possível. Às vezes, até demais.
Ano novo e com muitas ideias…naturalmente muitas delas não acontecem no tempo em que gostaríamos. E isso deixa aquele vazio! Nesses momentos, eu me dedico a desenvolver novos serviços ou melhorar aqueles que já ofereço ao consumidor. Isso ocupa minha mente e ainda otimiza minha qualidade.
Tenho visto muitos passeadores de cães, nos bairros nobres de São Paulo, desfilando como um ‘cabide’, muitos deles ostentando até 10 cães em um único passeio. Risco iminente!
Penso, na verdade, em como deve ser o passeio desse animal. Se eu fosse um desses cães, o que eu sentiria quando alguém assim chega para me buscar? Seria esse o melhor serviço que meu dono pode pagar por mim? Ele nem sabe dos detalhes desse passeio? Se não sabe, não se interessa ou não se preocupa?
::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::
:: Twitter ::
:: Facebook ::
:: Google + ::

Imagino o risco que esses cães correm. Pode parecer bonitinho e até engraçado uma penca de cães andando juntos na rua. Mas atravessar a rua com eles é que é a dificuldade. Às vezes, eu paro e fico olhando para certificar-me de que não precisarei ajudar. Devolvê-los aos seus donos é outro drama. Vejo vários deles amarrados em postes, de vez em quando, próximos de cabines de seguranças de bairro que ‘dão uma olhadinha’. Isso para não falar na diferença de idade, porte e capacidade física dos mesmos. Um cão miniatura andando com um Golden Retriever. Um deles certamente voltará frustrado para casa.
Meu objetivo com esse post é falar que podemos, devemos e temos obrigação de fazer um serviço melhor. Tenho certeza de que a mesma pessoa que está oferecendo esse serviço seria incapaz de contratá-lo, por menos bom senso que tenha. Precisamos nos dedicar, melhorar e oferecer um serviço com o mínimo de qualidade. No meu caso, quero sempre mais!
Os animais merecem nosso respeito, cuidado e dedicação, independentemente do dono que eles têm.
 
 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: