Três inspirações para inovar (direto de Milão)

Daniel Fernandes

15 de fevereiro de 2016 | 07h25

Menta90 (Marcelo Pimenta) é jornalista, professor de inovação da pós-graduação da ESPM e fundador do Laboratorium. Escreve às segundas no Blog do Empreendedor. Para acessar outros conteúdos, curta aqui.
Depois de participar do NetExplo, em Paris, tirei uns dias de férias e meu primeiro destino foi Milão. De lá trago três ideias que podem lhe inspirar para inovar.
1. Techno Souq
Como criar um novo espaço de interação usando criatividade, arte e um apelo ecológico? Foi isso que o escritório de design Cibicworkshop fez por ocasião da EXPO 2015 no centro de Milão. A obra, criada por encomenda da loja “Il Renascente”, buscava melhor ocupar a via Santa Radegonda, no centro de Milão. A proposta foi criar um grande lounge a partir de uma instalação artística gigante.  Além de embelezar a cidade, a intervenção urbana criou um novo espaço público que abriga eventos, manifestações culturais, bate papos educativos e o que mais a imaginação permitir. E o mais bacana: as tendas foram construídas em formato de funil, fazendo com que a água da chuva seja captada para irrigar as plantas do local. E você, que espaços desocupados poderia ocupar para incrementar seu negócio e deixar a cidade mais humana e bonita?
2. PolentOne
Em tempos de food-truck e de gourmetização de tudo, descobri a PolentOne, primeira loja especializada em polenta do mundo. Uma franquia que nasceu a partir de um antigo negócio familiar, em Bergamo, e que hoje cresce não só na Itália, mas também em outros países (já tem loja até na Rússia).
Provei e aprovei! E fiquei pensando: com tanta diversidade de ingredientes e receitas que essa miscigenação brasileira nos proporciona, quantos produtos além das já manjadas lojas de brigadeiros e paletas poderemos criar?
3. Fillico La Bella Vita Pegaso
Como é possível agregar valor a um produto tão comum como, por exemplo, água? A resposta que a “Aqcua di Lusso” encontrou foi incrementar o design das embalagens. Mas, não apenas “dar uma melhoradinha” e sim criar objetos que são verdadeiras obras de arte (e de desejo dos consumidores), como esta que você vê na foto abaixo.
Sabe quanto custa? 280,00 Euros! Isso mesmo, em câmbio de hoje, cerca de R$ 1.260,00 por menos de um litro (são exatamente 720 mililitros) não de uísque, perfume ou qualquer líquido “nobre”, mas sim de água (no caso, a água que corre no sopé do Monte Rokko, na província de Kobe, no Japão – muito famosa porque é utilizada para a produção da melhor Saquê Japonês). Caso você esteja interessado em comprar essa “obra de arte” está disponível online aqui.  Como essa ideia pode lhe inspirar a criar embalagens que pudessem ser colecionáveis ou que se tornassem objeto de desejo dos clientes?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: