Ter ou não ter um sócio

Daniel Fernandes

09 de novembro de 2015 | 07h32

Se você nunca pensou em ter um sócio, saiba desde o princípio que “quem tem sócio tem um patrão”. Uma sociedade é como um casamento, em que você escolhe uma pessoa que tem muita afinidade, seja no âmbito pessoal ou profissional, para compartilhar algo. Sócios devem possuir uma boa convivência para prosperarem e, principalmente, terem habilidades, valores e perfis que se complementem. Vejo esse cenário com bons olhos, desde que tudo seja bem estabelecido desde o princípio, antes da conclusão da sociedade.
A minha primeira experiência com sócios aconteceu quando abri minha primeira clínica odontológica, em parceria com um amigo da faculdade. Em seguida, tive o caso do China in Box. Dessa vez, meus sócios eram bem mais próximos, entre eles meu pai e minha irmã. Mesmo assim, antes de fecharmos o acordo final, alinhamos o papel, o salario e a porcentagem de cada um dentro da empresa. É sempre necessário estabelecer, em uma sociedade, quem será a pessoa que dá a palavra final. No nosso negócio, eu fiquei com essa função, no papel de diretor executivo. Já com o Gendai, começamos em cinco sócios e, entre eles, o executivo principal era o Carlos Sadaki, hoje vice-presidente do TrendFoods, grupo que surgiu em 2008 com a fusão das duas redes de fast food.
Em 2012, parte do grupo TrendFoods foi adquirido pelo fundo de investimento Laço Management, gestora de recursos com foco na América do Sul. O objetivo da parceria era intensificar a expansão das marcas do Grupo, inaugurando novas lojas pelo País.  O resultado foi conquistado no ano de 2013, com a abertura de 20 novas unidades pelo Brasil. É preciso ter em mente que precisamos de auxílio para ter sucesso. Afinal, ninguém constrói nada sozinho.
Os momentos de decisão podem ser uma dificuldade no universo empresarial. Não podemos titubear nesta hora e nem perder as oportunidades, por isso é preciso compartilhar tudo, mesmo que exista um impasse entre as opiniões. Você nunca irá decidir sozinho e nem sempre a sua opinião será considerada. Apesar disso, o importante é o tipo de governança que se implanta para manter a clareza de dados e informações, sem perder a agilidade nas decisões.
Coloque na balança, encontre as pessoas certas and go ahead!
Robinson Shiba é presidente do Grupo TrendFoods e fundador da rede China in Box

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: