Sua empresa está preparada para 2022?

Sua empresa está preparada para 2022?

As empresas que uniram estratégia, planejamento e flexibilidade durante a pandemia estão prontas superar qualquer desafio e sair mais forte desse momento

Redação

18 de janeiro de 2022 | 17h00

Por Taís Fernanda Camargo Antonio, consultora do Sebrae-SP

Começou 2022, mas parece que estamos vivendo num looping: covid-19 com nova variante, surto de gripe, alguns estabelecimentos comerciais fechados e a volta com o home office, a insegurança de não saber o que vai acontecer, mas já sabendo que vivenciamos esses episódios e que temos grande vantagem, se comparado, a dois anos atrás. A sensação de looping realmente está acontecendo e pode deixar você, empresário, exausto, mas precisamos continuar.

Diante de 2022, temos de ser otimistas. Já sabemos que os protocolos contra a covid-19 vão nos auxiliar no combate ao H3N2, gripe que vem contaminando grande parte da população. Precisamos reforçar e manter os protocolos: álcool em gel, máscaras, distanciamento social são essenciais e sua empresa deve mostrar que os mantém e que está preocupada com a saúde de seus funcionários (agenda positiva) e seus clientes. Faça com que simples ações possam atingir seus clientes e reforce o laço de confiança com a sua empresa.

Confiança é uma das palavras fortes de 2022. As empresas que estão no mercado, as que já existiam antes da pandemia e as que nasceram nela, estão mostrando sua força e resiliência na condução de tantas dificuldades e situações antes nunca vividas. São empresas que aprenderam a ter um planejamento de longo prazo, com foco no propósito da empresa, mas que não esqueceram que planejamentos são feitos a lápis, pois o dia a dia, as mudanças de cenários, exigem adaptação rápida.

2022 começa cheio de incertezas, mas cultivar o otimismo é essencial para os empresários de micro e pequenas empresas. Foto: Unsplash/@johnschnobrich                            

Esse processo foi acelerado pela pandemia e, muitas empresas, não fazem esse processo de forma consciente, mas quando perguntamos onde querem chegar, o que desejam para o futuro e o que estão fazendo agora para que isso aconteça, têm as respostas na ponta da língua.

Claro que indicamos que seja escrito, que possa ser validado, que passe por análises e que tenha a possibilidade de inserções (quando as oportunidades aparecem) e que alguns pontos possam ser alterados e até excluídos (quando as situações não permitem ou não estão propícias para que aconteçam). Mas sabemos o quão complexo isso pode ser para micro e pequenas empresas (MPE), onde as decisões, compras, controles, vendas e negociações são efetuadas por uma única pessoa (na maioria) ou está concentrada em poucas pessoas.

Porém, salientamos que, quando está escrito, exposto, claro, fica mais fácil para essa mesma empresa. A companhia ganha em produtividade, qualidade e em vislumbrar novos caminhos, novas oportunidades e maneiras de inovar e continuar crescendo.

Esse também é um fator de competitividade das MPEs, pois elas têm poder de decisão muito mais rápido que as médias e grandes. Use esse fator a seu favor, mude rápido, teste antes de colocar uma solução como fixa, pergunte ao seu cliente (que está bem mais próximo que das grandes empresas e se sente escutado, atendido).

Faça com que suas soluções encontrem eco nos problemas de seus clientes, lembrando que esses problemas podem estar se repetindo (olha o looping aí de novo) e você já tem soluções, produtos, serviços prontos para serem colocados em prática.

Aqui, estamos falando do propósito da empresa. Sabemos que muitas pessoas viraram empresários, não por enxergarem uma oportunidade, mas por uma necessidade. No entanto, essa necessidade espelha a de outras centenas de pessoas que estão vivendo esse momento, por isso, mesmo que não tenha sido pensado, antes de abrir, o propósito da empresa faz com que ela tenha sentido para seus clientes.

Muitas empresas que atendemos tiveram de inovar e fizeram desse novo jeito de vender ser seu propósito: restaurantes com uma porção de mesas, mas que hoje têm embalagens especiais e entregas rápidas e com horários estendidos com o propósito de levar comida boa e/ou saudável para seus clientes que não estão saindo na hora do almoço por estarem trabalhando em casa.

Ou a floricultura que atende as datas especiais, mas que ampliou a oferta de plantas para ambientes fechados, para que as casas fiquem mais acolhedoras. Ou os mercadinhos de bairro com suas bicicletas que entregam as compras pedidas pelo WhatsApp e têm as ofertas mandadas para os grupos de clientes. Ou as lives para vender as roupas, sapatos, produtos de beleza, pois as clientes se sentem mais seguras e tem um tempo maior para escolher e comprar.

São tantas pequenas grandes mudanças que nos trouxeram até aqui e que nos farão seguir. Independentemente do cenário da pandemia, dos surtos de gripes, dos cenários que forem se tornando realidade, as MPEs têm a resiliência e o Sebrae para ultrapassar e sair mais forte e sólida desse momento.

  • Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo

Tudo isso para dizer que sim, parece um looping, mas não é! As mudanças estão acontecendo e vejo cansaço, mas a certeza que vamos passar por mais esse momento. Encontro empresários que veem oportunidades, que têm repertório, que conseguem atender as necessidades dos clientes sem tantas resistências e contribuem para que as experiências sejam compartilhadas.

O Sebrae, como casa das MPEs, com seus cursos, consultorias, projetos e materiais para atender e apoiar os empresários e todos aqueles que são empreendedores, também quebrou a resistência, seus paradigmas e bateu todos os recordes de atendimentos em 2021, de todas as formas que o empresário precisava: presencial (sempre que possível), mas, principalmente, online, derrubando barreiras de tempo, de disponibilidade, de forma de atender.

Estamos juntos, com esse sentimento do looping, mas olhando de forma positiva, acreditando que estamos no caminho certo e buscando atender ainda mais  os temas que as MPEs precisam e do jeito que elas desejam.

2022 está só começando e temos a certeza de que as mudanças vão continuar, que elas serão boas, trarão resultados e que as MPEs vão continuar precisando de apoio, conteúdos, atendimentos, busca por informação, acesso a novos mercados, fidelização de clientes, melhores oportunidades para comprar e vender, controles financeiros, gestão de pessoas, inovação, apoio a programas especiais para os setores e busca por oportunidades – mesmo que a empresa tenha surgido por causa de uma necessidade.

O importante disso tudo é que estamos prontos para atendê-los, pois reconhecemos a força e a potência das micro e pequenas empresas para os bairros, cidades, Estados, para o nosso País. Você, empresário da micro e pequena empresa, bem-vindo a 2022 e vamos fazer acontecer tudo que você planejou. Vamos fazer parte desse novo mundo com todas as mudanças que ele está nos propondo e conte conosco!

Tudo o que sabemos sobre:

EmpreendedorismomicroempresaSebrae

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.