Startup cria São Pedro virtual para reduzir perdas na periferia com alertas de chuva

Startup cria São Pedro virtual para reduzir perdas na periferia com alertas de chuva

Pluvi.On cria estação pluviométrica que se conecta a assistente virtual para disparar alertas; ideia é espalhar 350 equipamentos a partir de financiamento coletivo

Maure Pessanha

12 de abril de 2019 | 17h07

No Brasil, muitas pessoas perdem a vida, a memória e a própria história em enchentes e deslizamentos. Moradora do Jardim Pantanal, Rose Campos conta que sempre que chove os moradores do bairro sofrem uma perda. Móveis, eletrodomésticos, álbum de fotos de pais e filhos. Bens materiais e objetos insubstituíveis são levados pelas águas.

Essas perdas poderiam ser evitadas se a população de menor renda tivesse acesso a tecnologia que emitisse alertas precisos e antecipados, avisando sobre os riscos de chuva forte e de enchentes, com tempo hábil para que possa se preparar. Parece um sonho distante? Na verdade, na geração de dados meteorológicos de qualidade se encontra a resposta para esse desafio.

Fundada por cinco amigos – Mariana Marcílio, Diogo Tolezano, Pedro Godoy, Hugo Santos e Murilo Souza –, a Pluvi.On desenvolveu uma estação pluviométrica de baixo custo, dotada de sensores para medir a velocidade e a direção do vento, além de intensidade da chuva, temperatura e umidade.

A partir da esq., os sócios Pedro Godoy, Diogo Tolezano, Mariana Marcílio, Hugo Santos e Murilo Souza. FOTO: João Vitor Marcílio

Com o objetivo de espalhar 350 equipamentos – conectados em tempo real com toda a cidade de São Paulo e voltados a produzir alertas rápidos, enviados gratuitamente pelo assistente virtual São Pedro para os moradores de áreas de risco –, a empresa deu início a uma campanha de crowdfunding (financiamento coletivo).

Com os recursos arrecadados, irá instalar redes de estações meteorológicas em pontos estratégicos da cidade para medir a intensidade da chuva e antever a probabilidade de uma enchente. Com os dados obtidos, os moradores poderão trocar mensagens com o santo virtual, via Facebook Messenger e WhatsApp, para entender o grau de risco de alagamentos e enchentes em suas regiões.

A meta inicial é arrecadar R$ 90 mil para instalações nas três comunidades de baixa renda mais afetadas pelas chuvas em São Paulo. Caso consigam ultrapassar esse valor, irão ampliar a abrangência do projeto para mais regiões. Com R$ 30 já é possível participar da ação.

“Pensar em cidades mais funcionais é pensar em como trazer mais qualidade de vida às pessoas”

As estações criadas pela startup de impacto têm custo mais acessível por serem fabricadas com 100% de tecnologia brasileira. Recentemente, os empreendedores foram convidados a integrar a plataforma de cidades inteligentes da Organização das Nações Unidas (ONU), a United Smart Cities.

Não por acaso, o tema dialoga diretamente com temáticas transversais das cidades inteligentes. Aliás, pensar em cidades mais funcionais para brasileiros e brasileiras é pensar em como trazer mais acesso, escolha, dignidade e qualidade de vida às pessoas. Essas são condições básicas para o desenvolvimento pleno de uma sociedade.

O apoio pode ser feito até 23 de maio pelo site da campanha.

* Maure Pessanha é coempreendedora e diretora-executiva da Artemisia, organização pioneira no fomento e na disseminação de negócios de impacto social no Brasil.

Estação Pluvi.On, que vai fazer medições. FOTO: Divulgação

Tendências: