Só o melhor é aceitável

Daniel Fernandes

14 de abril de 2015 | 07h01


A busca pela alta qualidade e o objetivo de oferecer aos clientes o melhor produto, valorizando cada pequeno detalhe da produção, fez com que uma pequena fábrica de brinquedos de madeira da Dinamarca, que surgiu em meio a uma crise em 1932, se transformasse, 80 anos depois, na marca mais poderosa do mundo, segundo um estudo global recente da consultoria Brand Finance. Essa empresa é a LEGO, que possui uma história bem interessante de empresa que se mantêm até hoje na mesma família, que enfrentou diversas crises e inovou, crescendo globalmente e sendo referência no mercado de brinquedos.

Fundada pelo marceneiro Ole Kirk Kristiansen, a empresa passou de geração para geração e hoje é comandado por Kjeld Kirk Kristiansen, neto de seu fundador. Apesar das décadas, a tradição de buscar sempre a melhor qualidade em cada peça produzida se faz presente como parte integrante da cultura da empresa e a acompanha como o principal pilar da marca. Outro ponto crucial para o crescimento da empresa foi a busca por inovação e investimento em equipamentos modernos, visando uma qualidade ainda melhor e buscando o crescimento.
Essa busca incessante pela qualidade e por novidades levou Ole a adquirir uma máquina que moldava plástico, em 1946. Este fato seria o início de uma grande mudança na empresa: a transição de brinquedos de madeira para brinquedos de plástico, dando origem às peças de montar.
Já a preocupação em criar um diferencial para enfrentar as crises do mercado e expandir a empresa levaram a família a buscar produtos que despertassem a imaginação das crianças. Pensando nisso e com o intuito de colocar um sistema nas brincadeiras, nasceu o sistema LEGO, como é conhecido até hoje, com tijolos de plástico que são capazes de montar infinitas possibilidades. Isso revolucionou a empresa: com a imaginação de uma criança, a LEGO poderia ser qualquer coisa.
Atualmente presente em mais de 130 países e com fábricas na Dinamarca, República Tcheca, Hungria e México, a empresa produz anualmente mais de 36 bilhões de peças, o que representa cerca de 68 mil elementos por minuto ou 1.140 por segundo. Com a filosofia de que só o melhor é aceitável, porque as crianças merecem o melhor, a LEGO é vista com bons olhos pelos pais e por educadores e é reconhecida mundialmente como uma empresa que respeita a inteligência das crianças, oferecendo a elas brinquedos que estimulam a imaginação e criatividade.
Esta é uma empresa que pode nos ensinar muito, e destaco aqui alguns pontos relevantes que podem ser aplicados em outras empresas, de diversos segmentos. O primeiro ponto é atingir diversos públicos – no caso da LEGO, eles agradam todas as gerações, de pais a filhos. A outra questão está relacionada com a importância de sempre inovar, permitindo-se criar novos produtos e até mesmo mudar a matéria prima. E o terceiro ponto que vale a pena destacar é a oportunidade de crescimento mesmo durante as crises – é preciso ter sensibilidade de analisar todos os períodos de crise e tirar força necessária para criar e continuar desenvolvendo produtos ou oferecendo serviços que sejam interessantes para o público alvo.

Tudo o que sabemos sobre:

Blog do EmpreendedorEstadão PME

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: