Setor saturado ou muito concorrido no franchising: como avaliar o mercado

Setor saturado ou muito concorrido no franchising: como avaliar o mercado

Pandemia embaralhou o jogo, então é preciso estudar o mercado antes de querer empreender com franquia; modismos tendem a ter ciclo de vida mais curto entre negócios

Ana Vecchi

12 de novembro de 2020 | 13h52

Você consegue diferenciar e identificar um setor saturado daquele que tem inúmeros concorrentes, mas que ainda comporta mais uma franquia na cidade e no entorno onde você mora? Para quem não é especialista em mercado, a dúvida é comum e pode ser perigosa se não for sanada. Algo como comprar gato por lebre.

Mercado saturado significa que um segmento, ou produto específico, alcançou o nível máximo de crescimento e não evoluirá mais, uma vez que alcançou o teto de sua expansão. Num país do tamanho do Brasil, digamos que este fato não seja assim tão fácil de ser atingido, a menos que tenha se iniciado há 50 ou 30 anos, expandido por meio de estratégias que o franchising fomenta e estimula. 

Inúmeras unidades franqueadas instaladas e concorrência acirrada pode ser muito desafiador e parecer impossível empregar capital, tanto para quem quer expandir quanto para quem quer investir. Porém, um dia nasce uma marca que se destaca, de forma surpreendente, quando o líder do mercado se considerava o último biscoito do pacote e, ainda, super fresquinho. Todos ainda querendo  e disputando tal marca em seu território de possível atuação. De repente, este cenário muda. Zona de conforto é um perigo em qualquer instância!

Já bati na tecla, várias vezes, das ondas de modismo no franchising, em setores diversos. Reforço que os empreendedores devem estar alertas ao investirem, pois são franquias que tendem a ter um ciclo de vida mais curto, como negócios de monoprodutos ou conceitos mal planejados: paletas, frozen iogurtes, spas, centros de estética, donuts e food truck, dentre alguns exemplos.

Todos estes produtos ou conceitos de negócios continuam existindo, ainda que muitos pensem que não, mas já bombaram absurdamente e parece que sumiram! Diminuíram, proporcionalmente ao impacto que já causaram na percepção e nas vidas de consumidores e de empreendedores.

Então, quando há muitas franquias concorrentes num mesmo ramo, como você, empreendedor(a) escolhe uma marca em que investir? Vamos aos 5 itens a se observar antes de escolher a franquia num setor, possivelmente, saturado: 

Paletas mexicanas: por onde elas andam? Foto: Sérgio Castro/Estadão

  1. Procure identificar se o setor está saturado ou com muita concorrência, porém com espaço para mais PDVs: pesquise dados (estatísticos e mercadológicos) na internet, com especialistas e questione os próprios franqueadores de por que você deveria investir na franquia, uma vez que parece que o setor está saturado.
  2. Participe dos processos de seleção das marcas concorrentes deste mesmo setor e trace os comparativos entre elas, fazendo as mesmas análises e complementando com o que cada uma apresentou a mais, que lhe pareceu de maior qualidade e transparência.
  3. Há municípios em que ainda comportam este negócio ou o interesse no produto principal: é o seu, onde você mora? É a melhor proposta de posicionamento de marca, com potencial de faturamento real e comprovado pela empresa franqueadora?
  4. Converse com consumidores dos produtos de marcas, lojas, clínicas, escolas, academias que estão na sua cidade. Veja se acham que já está lotado deste tipo de negócio e se caberia mais um, ou não. Se seria ótimo ou “Como assim? Já não tem mais espaço para isso!”. Por vezes, a resposta à sua dúvida é tão clara àqueles que compram tal produto e serviço, mas você quer crer que eles todos estão enganados e só você está enxergando a oportunidade. Tire o emocional e suas crenças do “to do list”.
  5. Não posso deixar de falar da pandemia. O histórico das marcas franqueadas foi apagado pela covid-19. Como as escolas de idiomas, informática, dança ou de ginástica do cérebro se comportaram e reagiram a este período? E as casas de café, chá ou sucos naturais? O setor de food service? E as concessionárias, locadores de veículos? Os demais setores que te interessam, como estão se repaginando?

O que estava saturado pode ter se tornado com vagas a serem preenchidas – inúmeros negócios fecharam e qual o real motivo? Pode ter havido má gestão daquele franqueado especificamente, por exemplo. Mas, pode ter sido do franqueador. Onde mora a verdade? Pesquise!

Como os setores estão reagindo além do e-commerce e aposta na tecnologia como solução para tudo e todos? Não é bem assim, nem tão simples, porém pode ser menos complexo do que se mostra. Acredito que o que estava saturado possa ter se tornado mais competido ou competitivo, novamente. 

Voltamos alguns anos em termos de ocupação de mercado e o se reinventar criou novos conceitos e modelos de gestão de negócios. Estamos em momento de negociar e comprar, fazendo diferente do que era considerado tradicional. E, os consolidados, em sua grande maioria, está aprendendo novamente, com cenário, contexto e consumidor recém-nascidos. 

Ajudei ou compliquei ainda mais? Ótimas pesquisas a todos os empreendedores que estão para nascer!

* Ana Vecchi é consultora de empresas, CEO na Ana Vecchi Business Consulting, professora universitária e de MBAs, pós-graduada em marketing e com MBA em varejo e franquias. Atua no franchising há 28 anos em inteligência na criação e na expansão de negócios em rede.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: