Sete dicas de como fazer um bom storytelling para o seu negócio

Sete dicas de como fazer um bom storytelling para o seu negócio

Storytelling é muito mais do que contar uma história de maneira falada; ela faz parte do seu negócio como estratégia de engajamento com o cliente

Redação

20 de outubro de 2020 | 13h50

Por Fabrício Siansi, analista de negócios do Sebrae Franca

Já parou para pensar que na verdade uma empresa é uma história cheia de emoções? No universo empreendedor, por detrás de todo produto ou serviço há uma alta carga de sonhos, medos, frustrações, conquistas, mudanças, felicidades e tristezas. Misture tudo isso e se comunique com o seu cliente. Não é fácil. O empreendedor por sua essência carrega uma alta responsabilidade de fazer com que as outras pessoas acreditem no que ele acredita, deem valor ao que ele oferece, confiem no que ele entrega.

Como seria bom se no meio de tantas variáveis, opções e maneiras de explicar o negócio tivesse um jeito de ser o mais claro e assertivo possível. E é nesse ponto que o storytelling entra em jogo. Muitas vezes ele é associado a uma técnica praticada pelas startups para montar um bom pitch, a famosa apresentação das empresas inovadoras para atrair investidores e bancas de aceleradoras.

Independentemente se você é uma startup ou não, vamos aqui te mostrar que, na verdade, storytelling é muito mais do que contar uma história de maneira falada. Vamos entender que ela faz parte do seu negócio, como uma estratégia de engajamento com seu cliente. Afinal, somos apaixonados por boas histórias.

1 – Storytelling é processo de enredo, produção, ritmo e estrutura

Como falado anteriormente, storytelling é muito mais do que uma apresentação. O contar uma história também está no porquê, como e o que a sua empresa posta nas redes sociais, telefone, e-mail, atendimento presencial, pós-vendas e, enfim, todas as formas onde há uma comunicação com seu público.

Nesse sentido, o que você transmite será ou não lembrado pelo seu cliente. Com isso em mãos, saiba que as boas histórias agem com intencionalidade, ou seja, elas têm um começo, meio e fim. Dessa forma, você como roteirista do seu negócio tem que saber o que contar, de que maneira contar em cada momento, a finalidade de cada conteúdo, qual o ritmo quer dar para essa história, bem como qual mensagem quer deixar no contato com seu público.

2 – Quantos potenciais clientes você já perdeu por falta de uma boa história?

Agora você já deve ter entendido que storytelling não é apenas uma apresentação, mas sim toda a forma de contar uma boa história em todos os momentos que entra em contato com seu cliente. Com isso em mente, já parou para pensar em toda a jornada percorrida até de fato efetivar, por exemplo, uma compra? Desde a procura pelo produto ou serviço, passando por pesquisas no Instagram, envio de mensagens, dúvidas por telefone e vários outros pontos de contato até finalmente realizar o pagamento.

O que adianta vender uma proposta para seu cliente se você não estará lá para responder as dúvidas quando ele precisar? Foto: Mike Meyers/Unsplash

Veja quantas interações essa pessoa teve até chegar a você. Então cuidado com o “meu atendimento é muito bom” ou “quando ele chegar aqui irá se surpreender”. Na verdade, quantos potenciais clientes você já perdeu até chegar aí? Não deixei de contar as histórias certas em cada fase dessa jornada pois, caso contrário, você estará perdendo uma grande plateia por ela não se interessar pelo próximo episódio.

3 – Cuidado com possíveis “quebras” da história

Sabendo que é importante contar boas histórias durante toda jornada, fique atento para não cometer o erro de não haver conexão entre elas. Sabe aquele episódio da série que não traz algo novo, ou então aquela parte do filme que você não entende muita coisa? Não deixe que isso ocorra com o storytelling do seu negócio. Lembre-se que toda história bem contada tem um enredo, uma sequência. Sendo assim, seu cliente deve ter expectativa do que está por vir e, ao mesmo tempo, deve ser conduzido para a próxima página.

Ou seja, o que você posta no Facebook tem conexão, mesma linguagem e sentido no próximo contato com seu cliente? As ideias estão amarradas? Há coerência? Pense nisso. Pois, um dos piores fatos que possa ocorrer no relacionamento com o seu cliente é a quebra de uma história. Por exemplo, ele é impactado por uma boa postagem no Instagram, mas não tem um bom atendimento quando liga por telefone para tirar uma dúvida. Nesse momento você quebra a confiança depositada. Há uma ruptura na comunicação que, se não bem trabalhada, terá consequências difíceis de serem ajustadas.

4 – Qual moral da história seu negócio quer deixar no final?

Como você gostaria de ser lembrado? O que o seu cliente deve sentir ao se relacionar com a sua marca? Esses são pontos que o empreendedor deve ter atenção ao construir seu negócio. Mais do que isso, até finalizar um relacionamento esse cliente já foi impactado por você de várias maneiras.

Ter ações estratégicas que levem a deixar a mensagem final que você gostaria dá sentido para que ele retorne ou traga novos ouvintes querendo conhecer essa história. Afinal, ao consumir seu produto ou serviço ele contará alguma história do seu negócio para alguém. A pergunta que fica é se será uma história boa ou ruim.

5 – Você sabe o que fala, mas não sabe o que o outro ouve

Ao contar uma história imaginamos que a mensagem está sendo passada de forma que todos entendam, mas será mesmo que isso ocorre? Na verdade, levamos em consideração a nossa própria percepção do que falamos, mas não notamos que cada pessoa interpreta aquela fala do seu próprio jeito. Portanto, procure colher feedbacks sobre a sua comunicação com as outras pessoas. Pergunte o que elas entenderam, o que não ficou claro e tudo o que de fato ajude para ser o mais assertivo no que você quer transmitir ao seu cliente.

6 – A história não é só sua

De nada adianta você ter uma história muito boa e estrategicamente feita para dar certa se ela estiver somente com você. Lembre-se que quem está ao seu lado também fala sobre ela. Não deixe que seja um conto diferente do que você imaginou. A história do seu negócio passa por todos ao seu redor, portanto, tenha um ótimo relacionamento com as pessoas envolvidas para que entendam o que de fato está sendo transmitido. Deve ser bom para o envolvimento coletivo, pois todos querem contar e se orgulhar de uma boa história.

7 – Storytelling é uma construção constante

Por fim, saiba que nada começa pronto. Portanto, o importante é começar a pensar no storytelling do seu negócio sabendo que é um processo contínuo de aprendizagem. Afinal de contas, com certeza você tem muito a dizer. É seu sonho em prática, com seus medos, frustrações, conquistas, mudanças, felicidades e tristezas. Ou seja, as pessoas querem ser envolvidas por aquilo que você tem a oferecer. Me conte algo que encante, que faça do seu negócio uma história lembrada por muitos.

Tudo o que sabemos sobre:

EmpreendedorismostartupFacebook

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: