Quero tributos mais simples para investir no que faz a diferença

Daniel Fernandes

07 de janeiro de 2013 | 08h32

Pedro fala nesta segunda sobre tributos

Fogos, rojões, céu iluminado, champanhe, beijos calorosos, mensagens no Facebook, celular e email, flores aos santos, pular as sete ondas, abraços apertados e muitas outras coisas boas sem distinção alguma de raça, classe social e nacionalidade trazem uma energia enorme para todos nós na virada do ano. Energia do “todo” pensando no bem! Neste momento mágico, recheado de otimismo, alegria e esperança, nós sempre pensamos em algo maior para as nossas vidas e nosso entorno.
Algo maior que desejo em 2013 é ter um sistema tributário mais simples, CLT inclusive, para que possamos pagar melhor e mais efetivamente os impostos. Assim vai sobrar mais, muito mais, para investirmos em coisas que realmente fazem a diferença no nosso negócio no dia a dia.
::: Estadão PME nas redes sociais :::
:: Twitter ::
:: Facebook ::
:: Google + ::

Ficaria muitíssimo feliz em pagar os impostos, que hoje equivalem ao nosso lucro líquido, se os meus colaboradores conseguissem chegar tranquilos ao trabalho sem gastar horas no trânsito ou em ônibus lotados; se eu não tivesse investido em um gerador de energia elétrica que ocupa um espaço enorme – toda vez que eu olho para ele me lembro do quão desnecessário seria este gasto se nossa infraestrutura fosse robusta.
Isso sem falar do acesso a telefonia, que muitas vezes nos deixa à mercê de poucos fornecedores, quando não de somente um, sem a sadia competição que nos dá maior liberdade de escolha.
Então, penso que também é nossa responsabilidade fazer nossa parte onde temos poder de influência. Com pequenas ações podemos, sim, mudar esta realidade política, mesmo que aos poucos. Neste ano que passou, nos nossos encontros de terças da UAH, paramos toda empresa durante duas horas para falar sobre o nosso papel na cidadania e sobre como votar corretamente.
Foi fantástico! Debatemos, entre outros pontos, a ficha limpa. Também falamos, principalmente, sobre como a internet tem o poder de dar poder às pessoas neste contexto político-social. Achamos tudo lá e fiquei muito feliz em saber que as redes sociais fizeram com que um dos candidatos, com um currículo não muito idôneo, não fosse eleito.

Por tudo isso, tenho ainda mais esperança que em 2013 o canal internet, por meio das redes sociais, vai levar as entidades públicas e privadas a outro grau de excelência. Este canal digital faz as informações chegarem mais rápido às pessoas. Esta velocidade faz da transparência algo já dado, impossível de esconder ou mudar os fatos. Vejo isto na realidade do nosso próprio negócio de comércio eletrônico, no qual as empresas têm que se concentrar no seu core business; se ajustar e adotar uma postura cada vez mais transparentes, fazendo frente para esta nova cultura da era digital.
Então, em 2013 vamos usar mais internet, criar uma conta no Facebook, no Twitter e no Fashion.me (para prestigiar nosso blogueiro Renato), compartilhar fatos políticos e sociais e aprender a viver nesta nova dinâmica que, aos poucos, faz a transformação que todos nós já fazemos e às vezes nem percebemos. Feliz 2013!
Bem-Vindo a nova era da autenticidade! Viva a transparência na internet!
A Endeavor.org.br é uma excelente fonte de conteúdo. Veja mais sobre mídias sociais.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: