Quero montar um negócio para vender!

Daniel Fernandes

17 de fevereiro de 2015 | 10h23

Na semana passada recebemos a notícia da união entre as Cervejarias Bohemia e Wäls. Foi inevitável lembrar da nossa história, quando vendemos a Cervejaria Eisenbahn em 2008 para o grupo Schincariol, hoje Brasil Kirin.
Interessante que encontramos comentários muito legais, de apoio e admiração, e algumas poucas críticas mais agressivas, parecidas com as que recebemos em 2008 como as que diziam que as cervejas nunca mais seriam as mesmas e que tudo estava perdido.
Logo que anunciamos a venda da Eisenbahn, algumas pessoas nos disseram que as cervejas já haviam mudado sendo que os lotes de cerveja aos quais elas se referiam haviam sido produzidos antes da venda da empresa.
Mas o nosso objetivo nesse post é falar da transação em si, um grande grupo empresarial procurando uma pequena empresa para comprar ou para formar uma sociedade, e não dos comentários ou críticas que aparecem, ou do que vai ou não acontecer após o anúncio da operação.
Se um grande grupo procura uma empresa pequena, é por que alguma coisa boa está sendo feita, ou seja, um bom trabalho está sendo feito. Bons produtos foram criados, uma boa estratégia de marketing montada, uma boa rede de distribuição estruturada, etc. E isso deve ser motivo de muito orgulho para o empreendedor.
Algumas pessoas já nos procuraram para trocar experiências sobre novos projetos e acabaram relatando que o objetivo  principal era, no final das contas, buscar a venda para um grande grupo, dando uma grande tacada.
Não acreditamos nesse tipo de trabalho, e ainda não vimos nenhum desses, pelo menos os que  conversamos, atingir seus objetivos. Nunca pensamos em vender a cervejaria. Esse nunca foi nosso objetivo e nunca imaginamos que isso pudesse acontecer algum dia. Inclusive, um dos motivos que nos levaram a escolher esse negócio foi o fato de termos encontrado pelo mundo muitas cervejarias que já passaram por diversas gerações e ainda estão por aí em atividade.
Acreditamos sim, no trabalho feito com paixão, com determinação, com dinamismo, com qualidade, com organização, com respeito e com inovação. O resto, ter uma empresa que passe por gerações e gerações ou que seja procurada por um grande grupo para uma aquisição ou para uma sociedade, é mera consequência.
Bruno e Juliano fundaram a Cervejaria Eisenbahn, um pub inglês em Blumenau e agora, à frente da Pomerode Alimentos, trabalham na criação de uma marca de queijos especiais. Escrevem todas as terças aqui no Blog do Empreendedor.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.