Quero empreender no mercado de bolos: quais cuidados devo tomar?

Quero empreender no mercado de bolos: quais cuidados devo tomar?

Qualidade do produto e divulgação devem ser levados em conta, mas não adianta só pensar no setor por causa da moda ou da novela, alerta especialista do Sebrae-SP

Redação

12 de novembro de 2019 | 11h54

Por Simone Haduo, consultora do Sebrae-SP

O mercado de festas e eventos nos tempos atuais tem se mostrado cada vez mais promissor. Nesse mesmo ritmo, o segmento de bolos, doces finos e afins vem garantindo seu espaço. Mas quem tem planos de empreender nesse setor precisa tomar certos cuidados antes de investir tempo e dinheiro. Confira cinco pontos de atenção:

  • A sua persona na linguagem do marketing digital

Defina com clareza o consumidor que pretende atender, faça pesquisa de mercado para encontrar referências positivas no Brasil e na Europa do setor e entenda se possui talento para produzir os produtos, se contratará confeiteiros especializados ou se deve se alinhar a uma franquia que já tenha experiência no setor.

Montar uma revenda de doces finos e bolos usando a cozinha de casa é interessante no começo, mas não pode ser levado em consideração enquanto modelo de negócio a médio e longo prazos sem planejamento prévio. A não ser que não pretenda crescer muito e queira se manter com apenas aqueles clientes fidelizados e essa verba extra seja apenas um complemento de renda familiar.

Ainda é preciso aprender sobre o mix de produtos que irá oferecer em termos de variedade de categorias (bolos, bem casados, brigadeiros etc.), de sortimento nas embalagens e design que combinem com a decoração da festa e profundidade (tipos diferentes de produtos de cada categoria, tamanhos diferentes e a quantidade necessária de produção de cada uma).

  • Cuidado com o negócio da moda ou que está na novela

O empreendedor precisa se identificar com o produto e, naturalmente, gostar de interagir com pessoas e ambientes de festas que geram muitas expectativas, desejos e sonhos nestes consumidores. Entrar neste mercado só porque o mesmo parece promissor ou ainda porque está baseado em algum modelo consagrado ou de sucesso não são boas opções de negócios.

Antes de divulgar o seu produto, teste-o com colegas e familiares. Foto: Filipe Araújo/Estadão

Entender e conhecer bem o negócio ainda é uma das grandes chaves para o sucesso. Assim, buscar qualificação e cursos em áreas que não domina, como a gestão do negócio, pode também ajudar a alcançar seus objetivos.

  • Faça degustações para ter a validação do consumidor

“Testar” os produtos com parentes, colegas de trabalho e amigos para saber a real aceitação do produto será crucial. Afinal, precisamos saber se o público se interessa em comprar o que queremos vender. Outros pontos importantes são: ter um diferencial, em termos de ingredientes (sem fugir muito do tradicional) ou na forma de apresentação. A embalagem tem que ser tão bonita e boa quanto o produto.

  • Garanta cuidados com higiene, validade e entrega

Todo negócio que lida com alimentação de algum tipo, mesmo que não preparada no local, deve tomar cuidados em relação à validade e à conservação. Produtos que levam chocolate sofrem muito com o calor e, se não estiverem expostos de maneira apropriada, podem se tornar pouco atrativos e estragar rapidamente, gerando um enorme prejuízo que deverá ser absorvido no final do mês.

  • Comunicação, divulgação e promoção

Aproveite períodos em que a procura aumenta, como datas comemorativas, dia das mães, dos namorados, dos pais, Páscoa, Natal etc. Oferecer produtos diferentes nessas épocas pode ajudar a incrementar as vendas. Mas não basta inovar apenas na mercadoria: tem que informar as mudanças para atrair o cliente.

Nos tempos de crise os consumidores buscam sortimento e bons preços. Vale expor, fazer promoções, oferecer brindes para compras de maior volume. Nos dias especiais, como feriados, quando se recebe visitas em casa, dá para trabalhar o consumidor para compras maiores, evitando o encalhe de produtos e oferecendo vantagens do tipo “pague 2 e leve 3”.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: