Quantos e-mails você recebe por dia? E quantos você responde?

Daniel Fernandes

06 de junho de 2013 | 07h10

Como usar a tecnologia a favor da empresa

A maldição do e-mail está tão difundida que as pessoas, quando querem se punir, falam: vou ficar dois dias sem ver e-mail e acessar a internet!
Todos os dias somos bombardeados com foguetes atômicos chamados de e-mail. Eles partem de todos os lados:  amigos, fornecedores, colaboradores, compradores, tem os falsos, os vírus, as propagandas que nunca solicitamos e aqueles tão aguardados por nós.
Quantas vezes por dia você acessa seu e-mail? Bom, se você for daqueles que não larga o smartphone, ele mesmo avisa você quando chega algo. Isso sem falar das mensagens de texto e dos aplicativos para conversar em tempo real. Tem também a opção de mandar uma mensagem de voz se não podemos falar naquele momento, gravamos o que precisa ser dito e enviamos. Simples assim. Quanta informação!
E as redes sociais? Vi recentemente que existem comunidades parabenizando o usuário que responde tudo rapidamente. Esse sim é um bom usuário, dizem eles….
Um sujeito conectado!
É claro que eu acho todas as ferramentas muito importantes. Elas traduzem a nossa evolução e involução ao mesmo tempo, afinal, não podemos deixar de falar que somos reféns e escravos de toda essa tecnologia. Podemos usar a nosso favor, mas acho bem difícil sermos moderados. A cobrança está lá, na caixa de entrada!
Quantos e-mails você recebe por dia? Quantos você consegue ler? E responder então? Aí fica a culpa!
Existem também os mais variados tipos de e-mail (conteúdo). Tem aqueles que se parecem com uma conversa telefônica. Quase monossilábicos. São tantas idas e vindas que até cansa. Às vezes, um simples telefonema resolveria tudo, de forma bem rápida e aí sim usaríamos um e-mail apenas para formalizar o combinado.
Temos uma demanda, mandamos um e-mail e ufa! Tudo resolvido. Aí começam os questionamentos, perguntas e respostas infindáveis!
Eu confesso que muitas vezes pego o telefone e resolvo na hora! E você?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: