Quando a empresa começa a crescer é que você perde o sono

Daniel Fernandes

14 de maio de 2014 | 06h45

Leo (direita) escreve toda quarta-feira
Ponto de equilíbrio. Será que isso é possível em uma empresa em que todo mês acontece algo novo? Desde que fundamos a fábrica e iniciamos a fabricação do primeiro produto, lá por meados de 2012, vivemos uma montanha russa de emoções diárias.
Rebemos todos os dias uma quantidade significativa de e-mails e mensagens de pessoas querendo representar, revender, ganhar, comprar, experimentar, seguir, amar e usar DE CABRÓN. Vivemos um mix de sentimentos de tensão e tesão, correndo rápido em nossas veias. E essa bipolaridade sentimental.
Como conseguimos prever o consumo daqui quatro meses? Qual o tamanho do estoque? Essa são perguntas para as quais estamos descobrindo as respostas com suor, e claro, muito otimismo. E o grande desafio tem sido equacionar a previsão de tudo: de plantio, de produção e vendas e de recompra. E não tem sido tarefa fácil, pois um erro pode custar muito, financeira e psicologicamente.
Essa curva de crescimento acentuada, por incrível que pareça, é o motivo que vem tirando o nosso sono. Sem dúvida alguma, conseguir espaço na vida do consumidor em um mundo hiper competitivo, no qual a grande indústria da comunicação cada vez mais busca facilitar o acesso às ferramentas de multiplicação de informações, com links patrocinados, palavras-chave, mídias sociais, e-mails marketing e dezenas de outros recursos é uma das tarefas mais difíceis. Quantos produtos você precisa prestar atenção para descobrir que ele está ali na prateleira do supermercado e você nunca notou? Muitos. Faça esse exercício e você verá que existem muitas marcas que passam desapercebidas.
Então, minha dica para quem pensa em empreender um novo negócio é: pense muito no conceito. Na forma que sua empresa irá entregar o serviço ou o produto. Porque, se esse discurso estiver bem alinhado, com certeza você vai perder seu sono pelo simples fato de não conseguir atender a demanda. Ainda que seja uma preocupação das grandes, é um prazer ser desafiado a conseguir sempre mais.
Curtiu? Então multiplique. Repasse. Trafique. Contra bandeie esse conteúdo. Sem medo de ser feliz. E até a próxima quarta.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.