Qual é a melhor ‘vacina’ para a minha empresa?

Qual é a melhor ‘vacina’ para a minha empresa?

Consultor do Sebrae cita medidas que os empresários podem adotar para se diminuir os riscos em tempos de crise

Redação

26 de janeiro de 2021 | 05h00

Por Vitor dos Santos, consultor de negócios do Sebrae-SP

O início da vacinação contra a covid-19 no Brasil aumentou ainda mais as discussões em torno do tema. E, nesse ponto, observo que muitos empresários me questionam: qual é a vacina para minha empresa? Quais ações posso realizar para que eu diminua o risco de sofrermos tanto, caso ocorram outras crises? Que ações devo tomar para não morrer na “próxima contaminação/crise”?

Pensando nesses questionamentos, elenco algumas “vacinas” para sua empresa, que podem proporcionar uma maior imunização do seu negócio para tempos de crise.

Diversificar canais de vendas/atendimento

Sua loja depende só de vendas presenciais? Sua indústria depende da venda apenas com a visita pessoal de representantes comerciais? Seu estúdio de dança precisa que o cliente vá até o estabelecimento? Percebe quão frágil ficamos quando temos apenas uma forma de relacionamento e atendimento do nosso cliente?

Claro que existem nichos mais específicos e complicados que outros, por exemplo, uma escola de natação. Mas sempre se pergunte: como eu poderia atender meus clientes sem depender de um único canal? Alguns exemplos como: sua indústria já tem uma forma boa e eficaz de comunicação pela internet? Sua academia conseguiu se ajustar para atendimentos por vídeo? Sua cafeteria está realizando entregas de café da manhã na casa das pessoas?

E a preocupação aqui não é só seu ponto físico: as principais ferramentas de vendas digitais atuais passarão por reestruturações em determinado momento, sendo que o empresário precisará se adaptar. E quanto mais ágil o fizer, terá maior chance de conexão com seus clientes.

Criar uma boa cadeia de fornecimento

“Quem tem um, não tem nenhum!” Um dos grandes problemas enfrentados em decorrência da pandemia é a falta de insumos básicos para fornecimento dos produtos e/ou aumento dos preços de produtos disponíveis. Desde insumos fundamentais para a construção civil e indústrias, passando por embalagens e produtos finais para o comércio. E não há solução rápida e fácil para isso.

Vamos sofrer com essas consequências ao longo de 2021. Mas o empresário que sempre criou uma relação boa com fornecedores e não dependia de apenas um único está conseguindo enfrentar melhor essa situação. É muito comum os empresários procurarem fornecedores no início do negócio ou só quando precisam de um produto e depois se “fidelizarem” a ele, mas não mantêm ativa uma lista de outros fornecedores e busca de diferenciais.

Um exemplo foi uma empresária que atua com cestas de café da manhã e outros mimos que estava desesperada porque seu fornecedor não tinha embalagens e cestas para seus produtos na época dos dia dos namorados, quando faz muitas vendas. Conversamos sobre a ideia de substituir as embalagens por outro material, já que o produto principal ela já tinha. Ela pesquisou e achou fornecedores e parceiros com produtos incríveis, com os quais pode até inovar nas embalagens. As palavras dela para nosso retorno da consultoria, após o dia dos namorados: “por que eu não procurei isso antes!?”.

Criar relações com instituições financeiras e buscar informação

Por mais que muitas empresas não tenham tido acesso e reclamem da burocracia, 2020 foi um dos anos em que mais oportunidades de crédito para as empresas foram criadas. Novas linhas de crédito foram criadas e algumas foram ampliadas e flexibilizadas. E o pouco relacionamento (ou nenhum) com instituições financeiras dificulta a obtenção dessas linhas.

Além disso, estar atento às notícias das instituições que divulgam oportunidades pode ser crucial para sair na frente e ter acesso aos recursos de forma mais rápida e ágil do que ficar no “fim da fila” das instituições. Como a demanda de recursos foi alta, essas instituições chegaram a momentos de congestionamento de pedidos, o que atrapalhou a obtenção de crédito para alguns empresários ou a finalização dos recursos. Dessa forma, acompanhar as notícias, ter contato com os agentes financeiros, aproximar-se de entidades de apoio aos negócios (como associações, Sebrae, contadores etc.) facilitará o acesso a informações e aumentará as oportunidades para sua empresa.

Ter uma reserva financeira

Esse é um dos itens mais polêmicos e complicados, mas foi um divisor de águas para os empresários que tinham reserva de caixa ou bens para a criação de caixa. Em situações estáveis (existem situações “estáveis” para as empresas?), alguns empresários não têm costume de fazer reservas financeiras, seja por reinvestimento na empresa ou excesso de despesas. A pergunta que os consultores financeiros mais fazem aos empresários teve sua aplicação prática – “Por quanto tempo sua empresa consegue se manter suas despesas sem novos faturamentos?”. Fazer uma reserva financeira, avaliar imobilizados da empresa que podem gerar recursos, podem ser um fôlego, mesmo que momentâneo, para qualquer empresa.

Reinvente seus produtos/serviços

Em decorrência de várias situações, precisamos assumir que não podemos oferecer os produtos e serviços da forma que estamos habituados a oferecer. Por exemplo, uma fábrica de sorvetes em massa, que tinha o foco principal em sorvete em massa, por não ter embalagens, muda seu posicionamento para vender picolés, pois ainda há insumos. Um agricultor que tinha o costume de vender seus produtos em um caminhão na entrada de uma cidade a varejo, remodelou o formato para vender cestas já montadas com os principais produtos consumidos. Um bar que começou a vender seus drinks por delivery, com todos itens separados para o cliente montar em sua casa e viver a experiência do drink decorado. Enfim, reinventar é necessário, não só para situações de crise, mas para se diferenciar e encantar os clientes.

Nenhuma vacina mantém uma taxa de eficácia de 100%, da mesma forma que essas ações isoladas não garantem a salvação de todos os tipos de empresas. Além disso, as “mutações” do mercado podem afetar os resultados. Porém, ter atitudes e ações que aumentam a vida das empresas, além de proporcionar melhores resultados, é sempre bem-vindo!

Tudo o que sabemos sobre:

EmpreendedorismoSebraecoronavírus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.