Prevendo o imprevisível (o exercício necessário de vislumbrar as ameaças a um negócio)

Daniel Fernandes

24 de junho de 2014 | 06h10


Banda se apresentando no The Basement após quase um ano sem música ao vivo
Todo empreendedor precisa lidar, em alguns momentos ou até constantemente, com ameaças que estão fora do seu controle. Sejam mudanças na legislação, nas políticas governamentais e no comportamento do consumidor, ou ainda contaminações, revoluções científicas, quebras de safras e crises financeiras globais, é difícil prever o que pode, num futuro imediato ou distante, prejudicar e até mesmo destruir seu negócio.
Mas tentar prever quais são as ameaças externas é um exercício necessário e a última das seis perguntas que procuramos responder sempre que decidimos empreender.
É provável que a maioria dos nossos leitores aqui no Blog do Empreendedor não acredite em videntes. Nós também não. Preferimos acreditar nos resultados de pesquisas e dados disponíveis no mercado, na contratação de consultores especializados e na observação de tendências. A intuição, é claro, tem o seu papel. E diante de uma possível ameaça que poderá se tornar real é preciso questionar: há algo a ser feito para contornar o problema? Com criatividade e esforço a resposta quase sempre será “sim”. Muitas vezes a solução passa por uma completa reinvenção do negócio.
Mesmo assim, algumas ameaças são imprevisíveis. Passamos por um momento muito difícil com o The Basement, nosso gastropub emBlumenau (SC), após o incêndio acontecido em janeiro de 2013 na Boate Kiss, em Santa Maria (RS), quando mais de 200 pessoas morreram.
Como resposta à sociedade, as autoridades imediatamente enrijeceram a fiscalização de bares e restaurantes como o nosso, criando várias novas exigências de segurança. Até aquele dia, tínhamos todos os alvarás, licenças e itens de segurança exigidos para funcionar. De repente, não podíamos mais colocar bandas para tocar ao vivo, um problema que se arrastou por quase um ano. Para voltar, precisávamos construir uma saída de emergência – algo não tão simples quando seu estabelecimento fica em um porão de um prédio histórico. Chegamos a repensar totalmente o The Basement, mas felizmente encontramos um lugar para abrir uma nova porta.
Há muitas ameaças que podem representar o fim de empresas e até mesmo indústrias inteiras. A evolução tecnológica está por trás de boa parte delas. Ao empreendedor, resta amissão de se reposicionar para sobreviver. É só pensar em casos como a italiana Olivetti, famosa pelas suas máquinas de escrever, a Kodak, que ainda passa por um momento muito difícil, e a Xerox, que virou sinônimo de “fotocópia” em todo o planeta mas quase quebrou na década de 1990.
Mesmo buscando se reinventar, essas três empresas nunca mais chegaram perto de ser A Xerox, A Kodak e A Olivetti que um dia foram. Mesmo gigantes, não conseguiram reagir bem às ameaças que surgiram pelo caminho.
Ameaças são um dos quatro pontos da famosa tabela SWOT, um dos métodos mais utilizados por empreendedores para analisar o mercado. Além das Ameaças – a última letrada sigla (Threat em Inglês) -, a tabela SWOT procurar listar ainda as Forças (Strengths), Fraquezas (Weaknesses) e as Oportunidade (Opportunities) de um determinado negócio.
A título de exemplo, há cerca de um ano publicamos no nosso blog, o Diário do Queijo, uma dica que trazia uma análise para nossa ideia de montar uma fábrica de queijos especiais.
Com o artigo de hoje, completamos uma série sobre as seis perguntas que procuramos responder antes de empreender. Se você perdeu alguma das outras cinco, aqui vai mais uma oportunidade:
1. A idéia é pioneira? Ou como diria Steve Jobs: ‘Esteja sempre faminto, seja sempre um tolo’
2. O restaurante que durou menos de um ano (a história de um negócio e seus erros)
3. Faça três cenários: realista, otimista e pessimista. E fique sempre com o último!
4. Nem sempre é você quem define seu público-alvo
5. A concorrência quer te matar
Bruno e Juliano fundaram a premiada Cervejaria Eisenbahn, um pub inglês em Blumenau e trabalham na criação de uma marca de queijos bem especiais. Escrevem todas as terças aqui no Blog do Empreendedor.
 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: