Preciso empreender, mas não sei em que…

Daniel Fernandes

04 de março de 2016 | 09h58

Quem tem, está com medo. Quem já não tem, está em desespero. Todas as crises que o país enfrenta agora se convergem, na perspectiva diária do cidadão, no medo de perder e não conseguir emprego.
Daí, empreender um negócio próprio, que antes era analisado como, quem sabe, uma oportunidade em algum momento da carreira, agora, para uma crescente parcela de brasileiros, é uma questão de urgente necessidade.
“Quando não se consegue um emprego, você abre seu próprio negócio” – disse um certo Walter Elias em 1923 ao criar, junto com seu irmão, a Disney Brothers.
Quando não há mais escolhas, a escolha já está feita. E se precisa empreender agora, comece com o que já tem em mãos. Analise quem você é, o que sabe fazer e quem você conhece. Você tem talentos e sabe fazer algumas coisas muito bem. Se tiver dúvidas disso, faça uma pesquisa rápida a respeito dos seus talentos com as pessoas que o(a) conhecem. Disney, por exemplo, adorava contar histórias, pregar peças nas pessoas e quase sempre estava distraído, imaginando coisas. Aproveite para fazer uma lista de coisas que sabe fazer.
Se pensar em todas as coisas que sabe fazer, conseguirá, facilmente, fazer uma lista com mais de 100 itens. Desta lista, pense nas coisas que sabe fazer melhor e, principalmente, nas que se sente mais realizado(a) ao realiza-las. Disney não só sabia desenhar, mas como adorava fazer isto. Em seguida, converse com pessoas da sua rede de relacionamentos sobre o que poderia empreender a partir dos seus talentos e habilidades. Se as pessoas gostam realmente de você, elas ajudarão com prazer. Foi assim que Disney descobriu que poderia ganhar algum dinheiro desenhando como cartunista.
Quando tiver uma ideia de negócio que pode realizar, acione novamente sua rede de relacionamentos. Converse com amigos, conhecidos, amigos de amigos e conhecidos de conhecidos. Em algum momento, alguém tende a apoiá-lo(a). Foi assim que Disney conseguiu alguns trabalhos como desenhista de anúncios de jornal.
E é neste momento em que a mágica começar a acontecer. Ao entregar os pedidos, você passa a ter mais em suas mãos. Não é mais o mesmo do início. Validou seus talentos, aperfeiçoou suas habilidades e inclui novas pessoas a sua rede de relacionamentos. A partir deste novo patamar, identifique novas oportunidades para empreender e, novamente, valide e busque apoio da sua rede ampliada de contatos. Consiga seu comprometimento e feche novos pedidos e perceberá que será uma nova versão melhorada de você.
Na teoria, este ciclo de evolução contínua como empreendedor é conhecido como Effectuation e pode ser observado na figura abaixo.

 
Na prática, o Effectuation explica como boa parte dos negócios começou. Neste jeito de encarar a vida, não fique esperando a melhor oportunidade de negócio passar na sua frente. É você que cria suas oportunidades a partir dos seus talentos, habilidades e rede de contato.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: