Por um Brasil mais empreendedor

Daniel Fernandes

17 de novembro de 2014 | 06h36

Menta90 (Marcelo Pimenta) é professor da pós-graduação da ESPM e criador do Laboratorium
Vivemos momentos únicos. Presidentes e conselheiros das maiores empreiteiras brasileiras estão presos. Quando eu era criança, isso era algo quase que impossível. A impunidade era algo aceitável no status quo do Brasil “como ele era”. Cresci ouvindo dizer que “empresário grande nunca é condenado”. Mas o Brasil está mudando – e é melhor viver num País onde corruptos e corruptores são presos – pois essa é a condenação para crimes de suborno, favorecimento e assalto aos cofres públicos.
No entanto, enquanto os tubarões são condenados, há um cardume de peixes que estão a mudar o Brasil pela via do empreendedorismo.  Sem corrupção,  com muita criatividade e força de vontade. Nos últimos anos uma série de iniciativas vêm ganhando visibilidade por seu próprio talento e competência – a Endeavor, Bel Pesce com a Menina do Vale,  Flávio Augusto e sua Geração de Valor, Diego Remus e seu Startupi são apenas alguns exemplos de iniciativas que (sem incentivo governamental) criaram sua formas de fortalecer e incentivar o empreendedorismo inovador.
Como eles, há o Startup Weekend, a DEMO Brasil, a Campus Party, a Anjos do Brasil, a Associação Brasileira de Startups e outras peças desse ecossistema brasileiro de empreendedorismo e inovação que realizam seus eventos, criam seus blogs e à despeito de todas as adversidades, vem “botando para fazer”.
Outro fato que considero significativo para entender que o Brasil está mudando é que no processo eleitoral recente, muitos empreendedores, algumas lideranças e referências das startups  “tomaram partido” apoiando e construindo propostas para candidaturas em todas as esferas – desde os municípios até o executivo e o legislativo federal. Outros adotaram uma postura mais reservada, sem abrir o voto, discutindo princípios que poderiam nortear qualquer governo que buscasse ser mais inovador – independente de quem vencesse.
Todos tinham em comum algumas crenças:  que a educação para o empreendedorismo é o caminho para superarmos nosso déficit de cultura empresarial; que os governos e os legislativos precisam incentivar a inovação contínua e de que seria preciso desburocratizar processos para que ganhássemos competitividade.
É nesse contexto de valorização da ética nos negócios e da canalização do debate sobre políticas públicas para o empreendedorismo que surge uma iniciativa que chamamos “Brasil + Empreendedor”. Um movimento que busca criar pontes entre entidades, lideranças e atores da cena das startups e da economia digital por uma pauta mínima que possa orientar a construção de políticas públicas pró-empreendedorismo.
Essa iniciativa é horizontal (não há hierarquia nem chefes), apartidária (não tem vinculação com nenhum partido ou coligação) e auto-organizada (os membros do grupo decidem os próximos passos, objetivos e ações). Estamos trabalhando em um cronograma mínimo, que se encerra em meados de dezembro, para que tenhamos, ainda em 2014, um MVP do que seria uma lista de propostas e sugestões que possam inspirar os novos governantes e legisladores para que 2015 seja um marco para um Brasil mais empreendedor.
Até 25/11 vamos buscar mobilizar o maior número de empreendedores para fazer parte do movimento e cocriar um documento-base (você que está lendo esse post está sendo convidado a participar!). O movimento é plural e democrático, mas consideramos importante ter uma data limite para definir quem está dentro do grupo – evitando que alguém venha se inserir “no último momento” trazendo questões que já foram discutidas.  O acesso é livre e gratuito e dá direito a que todos tenham contribuam com o documento,  todos podem editar. Não é preciso representar nenhuma entidade, nem tampouco ter uma empresa para poder fazer parte – todos que desejam um Brasil + Empreendedor são bem-vindos.
Até o dia 09/12 – Prazo para que todos os membros do grupo possam acrescentar suas sugestões, opiniões. Todos poderão contribuir com o documento.
– No dia 17/12 – Na sede da Germinadora, em São Paulo, das 19h às 22h, com transmissão via Internet, vamos finalizar a redação da primeira versão do documento, priorizando ações e compatibilizando diferenças. Essa ação será presencial em São Paulo, mas todos os membros do grupo poderão acompanhar / interagir / contribuir on line. Nesse dia também definiremos como/quando será feita a entrega da pauta aos representantes eleitos.
Já temos compromisso de veículos, como a Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios, o Startupi e de outros blogs e programas que focam no nicho do empreendedorismo (como o Alma do Negócio, Startupando, Projeto Draft …) que já se comprometeram em dar visibilidade ao movimento – e a acompanhar a execução, por parte dos governantes, da pauta de reivindicações construída de forma colaborativa.
A lista de membros até esse momento, reúne cerca de setenta nomes e pode ser acessada aqui.
Esperamos que muitos outros se juntem a nós. Para isso basta acessar o formulário que está aqui.
Por um Brasil mais ético, mais empreendedor e  para que tenhamos orgulho do legado que vamos deixar para as próximas gerações. A identidade visual está sendo construída de forma voluntária pelo Carlos Matos (co-autor do livro “O Empreendedor Viável” e criador do Startupando) e nossa página no Facebook está sendo administrada pelo jovem empreendedor Davi Braga, de 13 anos, criador da startup List-It.  Algumas propostas já estão sendo apresentadas, como você pode ver aqui. Estamos buscando novos voluntários que queiram somar nesse esforço.Vamos juntos?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: