Perspectiva 2013: 'A gente ignora a economia na nossa equação'

Daniel Fernandes

01 de janeiro de 2013 | 11h26


Empresário acredita que será o ano do Fashion.Me alcançar destaque internacional

Renato Steinberg e seu sócio no Fashion.Me, Flavio Pripas, costumam fazer planos de negócios, mas algo genérico. A ideia não é criar um gesso, mas uma visão sobre os desafios do empreendimento, no caso, a primeira rede social de moda.
“A gente não precisa seguir muito a risca, o plano de negócios é mais um horizonte do que aquela coisa ‘ah, precisamos executar’. Qualquer startup muda muito. Tem que testar hipóteses. Criar um plano de cinco anos não faria sentido”, afirma Renato.
::: Estadão PME nas redes sociais :::
:: Twitter ::
:: Facebook ::
:: Google + ::
Sobre 2013, o empresário acredita que será o ano do Fashion.Me alcançar destaque internacional. E isso não é pouca coisa. “Estamos vendo mecanismos para aumentar a base de usuários lá fora (do País). Será um ano que a gente quer mais parcerias, vamos aparecer mais do que em 2012 e fazer as coisas acontecerem melhor.”
Mas e o desempenho da economia, não preocupa?
“Eu sou meio poliana, sou sempre otimista. E acho que tanto o que vai acontecer com a economia aqui no Brasil quanto lá fora não tem como evitar. Então, a gente meio que ignora na equação porque a gente não pode fazer nada”, analisa Renato. “A gente entende que talvez não seja um ano tão fácil, mas de qualquer forma vamos batalhar para que funcione”, conclui.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: