Para quem pensa em empreender: 15 startups que valem mais de US$ 1 bilhão e o que aprender com elas

Daniel Fernandes

16 de outubro de 2015 | 07h04

Algumas startups são muito valiosas e por mais que não concorde com o valor, os empreendedores podem aprender muito com seus empreendedores e com a trajetória do negócio.
Buscar inspiração em negócios grandiosos já consagrados e empreendedores lendários é inspirador, mas estudar modelos que estão funcionando agora (mesmo que fracassem em alguns meses) pode trazer lições muito úteis para quem pensa em empreender ou já está liderando um negócio próprio.
A seguir, listei 15 startups que são razoavelmente desconhecidas no Brasil e que valem mais de US$ 1 bilhão de setores diferentes. Todas elas não têm um valor tão astronômico à toa. Contam com empreendedores bem qualificados, propostas de valor inovadoras, estratégias competitivas e modelos de negócios muito escaláveis.

Se estiver pensando em uma startup B2B, estude como a Palantir, por exemplo, evoluiu tão rápido, mesmo que não atue em big data. Pensa em investir em imóveis (mesmo na situação atual no Brasil)? Então, estude como a WeWork vem revolucionado o mercado de locação de espaços. Quer criar seu próprio site de comércio eletrônico? Precisa estudar como a Fanatics e a Wish estão dando tão certo. E mesmo que a startup não tenha relação direta com o negócio que pretende montar, mesmo assim, entre no site e estude o negócio. Há muito o que aprender sobre estratégia, modelo de negócio, usabilidade, por exemplo.
1 – Palantir: A empresa vale cerca de US$ 20 bilhões. Co-fundada por Peter Thiel, um dos co-fundadores do Paypal e investidor do Facebook, o Palantir oferece soluções de big data para empresas e governo.
2 – Didi Kuaidi: Avaliada em US$ 17,4 bilhões, o Didi Kuaidi é o Uber da China, só que três vezes maior. Enquanto o Uber tem pouco mais de um milhão de motoristas registrados, o Didi tem mais de três milhões.
3 – Flipkart: É a Amazon.com da Índia. Como principal player de comércio eletrônico, vende de quase tudo um pouco. Vale US$ 17 bilhões. Mais do que tudo o que o comércio eletrônico vai movimentar no Brasil em 2015, cerca de US$ 11 bilhões.
4 – WeWork: Fundada em 2010, é uma rede de 30 espaços de coworking em 10 cidades dos Estados Unidos e Europa. O valor da empresa atingiu inacreditáveis US$ 10 bilhões.
5 – Zenefits: O nome é sugestivo. É para ficar zen com a gestão de benefícios dos funcionários da sua empresa. A Zenefits gerencia folha de pagamento, benefícios, riscos e ainda terceirizados. Por reduzir a dor de cabeça das empresas, a empresa vale aproximadamente US$ 4,5 bilhões.
6 – Credit Karma: Carma é o peso que carrega. O darma é o lado bom, é a vantagem de ter sido uma pessoa boa. O Credit Karma é isso para o mercado de finanças pessoais. O serviço permite que as pessoas consultem suas análises de crédito, dá recomendações financeiras e ajuda na sua saúde financeira. Por ser tão “boazinha”, tem sido avaliada em US$ 3,5 bilhões.

7 – Fanatics: A empresa vende material esportivo oficialmente licenciado de quase tudo nos Estados Unidos. NFL, NBA, NHL, MLS, UFC, PGA, MLB, NASCAR são alguns dos parceiros da Fanatics. E ainda vende algo pouco explorado no Brasil, material licenciado de universidades. Vale US$ 3,2 bilhões.
8 – Delivery Hero: Essa talvez você conheça. Como ser uma startup e já ter uma operação em 21 países? Estude a trajetória da Delivery Hero que entrega comida por meio de mais de 73 mil restaurantes associados. No Brasil, é a PedidosJá e juntas, a operação vale US$ 3,1 bilhões.
9 – SoFi: É uma solução que teria muita demanda no Brasil pois oferece refinanciamento de empréstimos estudantis. A startup vale US$ 3 bilhões.
10 – Wish: Está pensando em vender pelo smartphone? Precisa conhecer a Wish. A startup é líder nisso nos Estados Unidos e Europa. E pela tendência, vai crescer muito. Talvez seu valor atual de US$ 3 bilhões até esteja barato.
11 – HelloFresh: A ideia é simples e alguns estão tentando replicá-la no Brasil. Você escolhe a receita e o HelloFresh manda todos os ingredientes na quantidade exata para você não errar. Quanto vale tudo isso: US$ 3 bilhões.
12 – Houzz: É uma startup muito bacana de decoração e reforma avaliada em US$ 2,3 bilhões. Precisa de ideias para reformar ou decorar? No Houzz tem. Precisa de mão-de-obra especializada? Houzz tem. Precisa comprar algum item? Houzz tem.
13 – Oscar: Oscar é uma startup de… assistência médica. Vai entender como os empreendedores escolhem os nomes. Mas parece que problemas com planos de saúde têm em todos os lugares. O Oscar tenta reinventar isso fazendo uso intensivo de tecnologia, dados e… design. Como se faz isso? Visite o site e estude o modelo de negócio. A empresa está avaliada em US$ 1,75 bilhão.
14 – Sunrun: Painel solar residencial já é bem conhecido no Brasil. Mas como montar uma empresa que vale US$ 1,3 bilhão instalando equipamentos assim? A SunRun criou um modelo de negócio bastante escalável e podemos aprender muito com isso.
15 – Pluralsight: Se estiver pensando em empreender na área de educação, estudar a PluralSight é praticamente uma lição obrigatória. É a startup mais valiosa de educação no momento. Vale US$ 1,1 bilhão. O que ela tem de tão valiosa? Estude o site da empresa e encontre a resposta.
Marcelo Nakagawa é Professor de Empreendedorismo e Inovação do Insper e Diretor de Empreendedorismo da FIAP.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: