Para acompanhar tendências do varejo, é preciso entender o novo consumidor

Para acompanhar tendências do varejo, é preciso entender o novo consumidor

Cinco questões levam a entender o novo consumidor, como durabilidade do produto, além de questões ligadas à saúde do cliente e ao ambiente, diz consultora de marketing do Sebrae-SP

Redação

20 de agosto de 2019 | 13h47

Por Monica Lemes, consultora de marketing do Sebrae-SP

Hoje vou falar um pouquinho sobre marketing de varejo. Para entendermos melhor a aplicação do marketing nesse segmento precisamos nos aprofundar no tema “tendências do varejo”. Uma das melhores definições sobre tendências que já li é de Beth Furtado: “Tendências são sinais fracos de ocorrências futuras”. Alguns sinais se diluem, perdem o sentido, outros se tornam realidade.

A competitividade no varejo vem gerando mudanças constantes no setor. Ele nunca sofreu tanta modificação como agora – tanto na forma de se relacionar com os clientes (interno e externo) quanto na forma de oferecer produtos ou serviços.

Grupos como WalMart têm oferecido preços tão baixos que chegam a provocar desconfianças em seus consumidores. Por outro lado, empresas como Sony, Nike e Apple têm criado verdadeiras butiques (com as marcas) onde os produtos são oferecidos e consumidos com preços altos.

Mesmo que as preocupações presentes sejam muitas e mantenham qualquer administrador muito ocupado, é importante que o profissional esteja atento às tendências do futuro. Preparar-se para enfrentá-las é a tônica do planejamento do administrador varejista. Portanto, analisar novas tendências é uma atividade necessária para o empresário moderno, principalmente no setor de varejo.

Estudos recentes apontam os pontos que se tornam imperativos para acompanhar as novas tendências do setor de varejo. O principal ponto é entender o novo consumidor.

Mudanças nas decisões de compra feitas pelos consumidores são constantes e se relacionam à idade, à renda, à instrução, aos sentimentos, aos pensamentos, aos valores, aos costumes, à família, ao estilo de vida, aos grupos de referências e à tecnologia. São estes fatores que levam as organizações a estudar e a pesquisar, de forma detalhada, tais decisões para poder saber como, quando, onde, de que forma e porquê os consumidores compram.

Preocupação com orgânicos é apontada como uma das características do novo consumidor. Foto: Tiago Queiroz/Estadão

Hoje é possível afirmar que a tecnologia tem moldado o novo consumidor. Antes, seu comportamento era mais simples de entender, pois sempre estava próximo dos locais de compras, suas decisões eram vistas, percebidas e analisadas; sem dizer, também, que as suas exigências eram outras, como também suas necessidades.

A utilização da internet tem criado um novo tipo de consumidor, que o setor de varejo tem procurado atender: o consumidor online. De acordo com a revista Fortune, cinco questões são fundamentais para se entender o novo consumidor:

  1. Lar, permanecer em casa, proporcionado relativa segurança e diversão
  2. Saúde, a preocupação do consumidor será a saúde, a tendência de consumo passará a ser por produtos orgânicos, diet e light
  3. Ambiente, o consumidor torna-se cada vez mais exigente, procura obter produtos que não ofereçam tanto risco à sua saúde e à natureza
  4. Qualidade, antes o produto caro significava ser de boa qualidade e também proporcionava status. O consumidor do futuro, por ter mais informação e conhecimento, optará pelo produto que tenha maior durabilidade
  5. Tempo / conveniência, praticidade e rapidez, nas negociações, no atendimento e na entrega

​* Mande sua dúvida para pme@estadao.com

Tendências: