Oito dicas para você achar o nome perfeito para o seu sonho

Daniel Fernandes

15 de maio de 2013 | 07h43

Juliana conta como se tornou Maria Brigadeiro

Dar nome é coisa séria. Minha mãe,  embora não admita, muito provavelmente se inspirou numa protagonista de novela das oito para me batizar. Conte isso a um profissional de “branding” e ele dirá se tratar de uma antiestratégia de diferenciação. Eu era a quarta Juliana da lista de chamada, o que explica porque fui rapidamente apelidada na classe de “Maria Brigadeiro”, numa menção aos docinhos que eu levava nos lanches comunitários da escola. Cresci, superei o bullyng e fiz do apelido o nome da minha empresa.
Dignamente composto, o nome soava distinto até começarem a surgir centenas de lojas de brigadeiro com nomes parecidos. Maria Fulana, Cicrana Brigadeiro, Maria Beltrana Brigadeiro… Numa crise de identidade corporativa, fui procurar um especialista de marca.
Além da motivação afetiva (que ingenuamente pensei ser a única), ele listou critérios bastante objetivos para criar uma marca forte e distintiva – que não incluem, infelizmente, apelidos de infância nem personagens de novela. Se você ainda não batizou seu negócio, (ou seu filho) não ignore as recomendações a seguir:
1 – Prefira nomes curtos – nomes curtos são mais fáceis de memorizar e uma marca se torna forte quando é lembrada pelo consumidor.
2 – Escolha um nome fácil de pronunciar – isso ajuda a localizar a marca na web, por exemplo.
3 – Não copie o concorrente – nomes parecidos confundem o consumidor e podem gerar complicações judiciais.
4 – Evite nomes muito comuns – eles não distinguem a marca das demais empresas existentes no mercado.
5 – Não use seu nome  – embora seja uma forma de personalizar o negócio, se a empresa for vendida, ou falir, seu nome ficará  associado a ela.
6 – Evite nomes que façam sentido só para você –  para ter um maior alcance, ele deve ser auto-explicativo e ser coerente com o propósito comercial da empresa.
7 – Registre a marca – faça uma consulta previa no INPI e certifique-se de que a marca está disponível para ser usada e registrada.
8 – Registre o domínio –  faça uma busca na internet e cheque se não há outra empresa com  mesmo nome.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: