O seu diamante pode estar no seu jardim

Daniel Fernandes

27 de outubro de 2015 | 09h54

Semana passada fui comprar uma revista de negócios e a capa de uma delas dizia “7 demissões por minuto” e a outra “O novo Steve Jobs, como Elon Musk levou a Tesla ao topo da lista das 100 empresas mais inovadoras do mundo”. Qual delas vocês acham que eu comprei? Não quero viver no país das maravilhas, achando que tudo está lindo e maravilhoso. Não está. Mas se eu tiver que ler e buscar conhecimento, prefiro aprender com quem esta fazendo diferente, quebrando paradigmas,  coisas que eu posso aprender e implementar no meu negócio, ajudando a melhor esse Brasil, gerando mais empregos, aumentando o faturamento, colaborando para girar a economia.

Como Empreendedores temos a obrigação maior de arregaçarmos a manga, fazermos TUDO o que estiver ao nosso alcance. Assim,  com certeza podemos mudar o mundo em que vivemos, mesmo que uma pequena parte dele. Esta parte será de extrema importância para algo ou alguém. Você conhece a história do escritor que estava andando na praia, com um sol muito quente, e de repente começou a subir a maré com inúmeras estrelas do mar? Ele viu aquela cena e pensou se não fizesse nada e deixassem  elas na areia, morreriam.  Começou a pegar uma por uma e a jogar no mar.  Passou uma pessoa que estava andando na praia e perguntou o que ele estava fazendo. Ele explicou e o cara disse que ele era completamente louco, com tantas estrelas do mar ele nunca conseguiria fazer a diferença. Ele pegou uma estrela, olhou para ela, e disse “para esta eu fiz a diferença” e jogou a estrela no mar. O cara se juntou a ele e começou a jogar as estrelas de volta para o mar. Falta esse “vamos nos juntar” para fazermos a diferença !!!!
A causa vale a pena. Estou falando do nosso Brasil. Em vez de deixarmos na mão de pessoas que não tinham experiência em gerenciar nem uma microempresa,  muito menos um País.  Estou falando em gerenciar corretamente, honestamente, com governança, de forma ilícita até Presidente de Conselho é fácil ser. Não tenho nenhuma inclinação política, mas para mim, precisamos de exemplos de pessoas de sucesso no governo, pessoas que já comprovaram que sabem fazer, por mérito e inteligência, e logicamente muito trabalho. Por que não pegarmos cases de sucesso e levarmos para a politica?
Esta parada total na economia, negócios caindo 30%, 40% em volume de vendas, qualquer um que saiba fazer conta, consegue perceber os prejuízos imensos que estão sendo gerados nas empresas, por isso as demissões em massa. O dinheiro saiu de circulação, tem muita gente que não está pagando e outros não estão recebendo, e consecutivamente não conseguem fazer a roda girar.  A roda girando os negócios acontecem, teremos que pensar diferentes formas  de fazer negócios.  Nesta nova empresa que acabei de abrir, tenho trabalhado muito com parcerias de pessoas que já me conheciam da minha outra empresa, da Endeavor, do mercado, as conexões e a credibilidade ganham força, um ajuda o outro a fazer e acontecer. Internamente na empresa, este é o momento de mexer e rever todos os custos, será que precisa mesmo gastar nisto ou naquilo? Administrar muito bem as margens de contribuição, agora é hora de se manter vivo, não é  necessário  grandes  lucros neste momento, mas o objetivo é simplesmente FICAR VIVO, pois com certeza existirá grandes oportunidades para quem não quebrar.
Mas não podemos desistir nunca, temos que acreditar sempre, fazer o nosso melhor, nos dedicarmos mais, trabalharmos mais, buscarmos melhores formas de fazer o nosso negócios acontecer. Infelizmente muitas pessoas desistem exatamente na curva do seu sucesso, antes que ele se realize, e ele estava simplesmente no seu quintal. Vou fazer um parênteses rápido, há um ano pensei em abrir um outro negócio, sair do negócio de roupas, pensei em mudar de área e quando li esta história que contarei, que já havia lido pelo menos 4 vezes antes em 20 anos, mas não lembrava, pensei porque mudar de área se tudo o que seu sei fazer muito bem feito é roupa, estou neste negócio há 17 anos, tenho total propriedade, sei o que funciona e o que não funciona, o meu sucesso estava dentro do meu quintal, e eu cheguei a pensar em trocar de negócio, às vezes aparecem algumas coisas na sua vida que até você questiona. Vou compartilhar com vocês :
Russel Conwell compartilhou uma história no livro Universidade do Sucesso, tinha um guia que contava sobre um velho persa chamado Ali Hafed que era dono de uma fazenda muito grande, e recebeu a visita de um monge budista que contava sobre uma pedra chamada diamante, dizendo que “era um pingo de sol congelado”. Se descoberta a pessoa poderia comprar tudo o que quisesse devido a sua grande riqueza.
Ali Hafed não dormiu à noite, resolveu vender a sua fazenda e partiu em busca dos diamantes. Percorreu a Palestina, perambulou pela Europa e após ter gasto todo o dinheiro, sem ter achado nada, estava em farrapos e pobres, se jogou no mar da Espanha para jamais voltar para esta vida.
Certo dia o homem que comprara a fazenda de Ali Hafed conduziu o camelo para beber água no jardim e notou um brilho vindo das areias brancas do córrego. Achou bonita, pegou a pedra e a colocou sobre o consolo da lareira. Recebeu a visita do Monge, chegando na casa perguntou se Ali Hafed tinha voltado pois aquela pedra era um diamante. O homem disse que não tinham noticia dele e que aquela era uma simples pedra achada no rio. O Monge disse que ele sabia muito bem o que era um diamante, pediu para levá-lo onde tinha sido retirada aquela pedra, e no mesmo lugar foram retiradas duas outras gemas muito mais bonitas e valiosas. Foi descoberta a mina de diamantes de Golconda, a mina mais esplêndida de toda a história, os diamantes Kohinoor  e Orloff, das joias da coroas da Inglaterra e Rússia, os maiores do mundo, vieram destas minas.

Às vezes as pessoas ficam buscando, buscando e o seu diamante está na sua própria casa. Olhe para dentro, imagine o que poderia fazer diferente no seu negócio do que faz hoje, como poderia obter melhores resultados, Ali Hafed tentou dar a volta ao mundo procurando seus diamantes enquanto eles estavam no seu quintal. Vou deixar esta para quem tem negócios familiares, quando fiz Administração na PUC, tinha vários amigos que tinham negócios de família, a maior parte não queria trabalhar com os pais, eu não tinha negócio nenhum de família, fui dar uma de Empreendedor, meu Deus do céu, fui montar o meu negócio para não ter chefe, eu sei o quanto custou tudo isso na minha vida até hoje, portanto deixo o pensamento: pensem no seu jardim, todo negócio novo que for montar, os estudos comprovam que são necessários de 3 a 5 anos para você aprender as “sacadas do negócio”, não irá acontecer do dia para a noite. Visto que as estatísticas dizem que 70% quebram em 3 anos, apenas 30% das empresas irão conseguir “começar a aprender estas sacadas”.
Mas ao mesmo tempo o que é bacana de morarmos em um país que permite esta mobilidade social, se você fizer, você pode conseguir, não é porque nasceu pobre que precisará morrer pobre. Esta semana estava lembrando quando fui construir casas no interior de São Paulo para vender, meu primeiro negócio, casas pequenas, botava X mil dólares e virava 3X mil dólares em 3 meses. Construir a primeira casa, deu certo, quando fui construir a segunda, isso em 1994, tinha acabado de entrar o plano Real e ninguém vendia nem comprava nada, mais ou menos igual agora.
O fato é que lembrei do Empreiteiro que havia construído a minha casa.  O Zé Carlos era um cara muito simples, não sabia praticamente ler ou escrever, a esposa a mesma situação. Mas era tranquilamente o casal mais determinado que conheci até hoje na minha vida. Uns 2 anos antes de eu conhecê-lo ele havia conseguido comprar um pequeno terreno e havia feito uma casa de 35m2. Vendeu a casa, comprou outro terreno e ele junto com a esposa, ela inclusive batia cimento na época, para quem não sabe o que é isso, é misturar cal, cimento e areia com água para fazer a massa que é colocada para grudar os blocos, fazia isto com a enxada. Eles estavam sempre muito felizes por estarem crescendo e trabalhando muito, os olhos brilhavam de verdade, dava gosto de ver.
Resumo da história, antes de eu voltar para SP, em 5 anos de trabalho, eles já tinham mais de 15 casinhas sendo construídas  com o dinheiro dele, casinhas simples, começaram a comprar o terreno, construir e vender as casas. Nos dias de hoje isso deveria valer mais ou menos R$ 1.000.000,00, resultado de muito trabalho para alguém que não sabia ler e escrever, tudo isso em 7 anos de trabalho, ele era o primeiro a chegar e o último a sair das obras. Para mim ficou muito claro naquela história se você quiser de verdade, não medir esforços para realizar os seus sonhos, eles irão se realizar, vai depender única e exclusivamente de você, eles definiram para eles Metas que Desafiam, e chegaram lá.
Apesar de ser um Blog de Empreendedores, qualquer Funcionário | Executivo também pode ser um Empreendedor na empresa que trabalha, isso com certeza fará uma grande diferença no seu crescimento profissional. Semana passada conheci uma Diretora de um grande grupo, tive a oportunidade de ter acesso ao seu currículo e consegui entender o porque chegou até lá, houve com certeza muito esforço e dedicação para poder angariar um posto deste, mas além de toda informação adquirida, teve principalmente  a competência de execução, esta é a maior chave para o sucesso, saber fazer e fazer bem feito! A maior parte das pessoas acham que é sorte, adoro a posição do André Esteves que diz “quanto mais ele trabalha, mais sorte ele tem”.
Para finalizar em um dos eventos da Endeavor, Fabio Barbosa, ex-presidente do Santander e Grupo Abril,  disse que contrata pessoas que tenham 3 qualidades principais:
-> Brilho nos olhos
-> Ser de bem com a vida
-> Ter habilidades técnicas
Essas qualidades servem tanto para profissionais contratados ou para se tornar Empreendedor. Se não tiver o brilho nos olhos e não for de bem com a vida,  a chance de dar certo será menor, ou poderá trabalhar na auditoria das empresas. Habilidades técnicas são essenciais, mas sem as duas primeiras, será muito mais difícil.
SERGIO BERTUCCI : MBA na vida de Empreendedor com muitos acertos e erros; já são 20 anos, quase quebrei 2 vezes, uma por falta de pedido e outra por um pedido muito grande. Sócio-fundador e Designer da BERTUCCI FASHION UNIFORMS, membro Internacional da ENDEAVOR, com muita vontade de poder ajudar os Empreendedores a fazerem direito e crescerem o seu negócio.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: