O melhor de empreender

Daniel Fernandes

25 de setembro de 2017 | 08h48

Tenho escrito diversas e repetidas vezes sobre as dificuldades de empreender, e pode até parecer que desejo afastar as pessoas da ideia de iniciar seu próprio negócio. Mas o meu objetivo é apenas alertar os desavisados – aqueles que acreditam que irão ficar ricos com pouco esforço – e ajudar a preparar melhor os que estão prestes a iniciar – ou já estão no meio – a jornada se empreender.
Mas hoje quero falar sobre coisas boas, o outro lado da moeda, sobre como empreendedor pode mudar a sua vida. E, se você está interessado em ser dono do próprio negócio, este pode ser o melhor momento de começar: na crise.

Aqui estão algumas das melhores coisas se ser empreendedor:
– No controle das horas: quando se é empregado, se trabalha um número limitado de horas, e os ganhos também são limitados pela própria característica do arranjo entre as partes. Mas quando se é dono do próprio negócio, passam a valer as suas regras, as suas horas, e isso é libertador.
– Dono do dinheiro: quando se trabalha para outros, é normal que a remuneração seja sempre controlada. Por outro lado, quando o negócio é seu, começa uma verdadeira relação de causa e efeito nos ganhos (e nas perdas) e nada se compara à sensação de construir um negócio desde o zero e ver ele prosperando.
– Novas conexões: o empreendedor interage em todos os níveis de negócio e, ao desenvolver a visão holística de gestão – que inclui até mesmo a vida pessoal, enriquece sua jornada de vida. Na busca de soluções, conhece outros empreendedores, lideres, influenciadores e a sua reputação e credibilidade vai crescer, trazendo significado na comunidade, o que é muito gratificante.
– Experiência de valor: o aprendizado é muito exclusivo, principalmente em matéria de liderança e tomada de decisão com alto stress. Este conhecimento é muito raro, e mesmo que tudo de errado, tem grande valor profissional e pessoal para a próxima etapa de vida.
– Uma vida rica de lembranças: não subestime o poder subjetivo das experiências adquiridas. A busca da felicidade pode ser a felicidade em sí. Assim como lembramos de viagens por muitos anos, também nos lembramos de uma vida rica de e aventuras.
Como podem ver, os ganhos potenciais ao empreender são muito maiores do que dinheiro: é a própria satisfação com a vida.
Ivan Primo Bornes – fundador da rede de rotisserias Pastifício Primo (www.pastificioprimo.com.br) ivan.primo@pastificioprimo.com.br

Tudo o que sabemos sobre:

Blog do Empreendedor

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.