O maravilhoso segredo por trás da febre da criação de personagens do Charlie Brown na internet

Daniel Fernandes

22 de setembro de 2015 | 12h12

Daniel Fernandes*
Uma das premissas de qualquer estratégia minimamente comprometida com o crescimento de qualquer empresa – pequena, média, grande, gigantesca…Amazon – é fazer com que a comunicação a respeito do seu produto e serviço chegue com eficiência até o seu público-alvo. No marketing, muitos especialistas (acho que todos!) defendem que o negócio que pretende vender para todo mundo acaba não vendendo para ninguém.
Verdade. Parece impossível vender um produto de massa como se ele fosse absolutamente único para cada um dos seres humanos que habitam essa terra azul.
Impossível?
Uma maravilhosa exceção à regra tem inundado as redes sociais nos últimos dias. A empresa por trás da estratégia é a Twenthieth Century Fox Film Corporation. O produto de massa, no caso, é o The Peanuts Movie – com estréia prevista para novembro – e a estratégia é permitir que o internauta crie um personagem do filme a sua imagem e semelhança. A partir da proposta muito bem executada, cada pessoa tem uma percepção muito particular – extremamente positiva – do filme que vai estrear.
O ponto principal, e que também vale a pena destacar, é que a execução não fosse extremamente eficiente – a ferramenta é simples de  ser usada e, guardadas as devidas proporções, consegue cumprir o que promete: criar um personagem razoavelmente parecido com o usuário.
Mas vale para a pequena empresa? Como estratégia, sim. Prestar atenção no que grandes corporações fazem – principalmente no marketing – ajuda pequenos empreendedores a terem insights, a formarem um banco de ideias cujas partes podem ser replicadas em seu próprio negócio. Do ponto de vista financeiro, dificilmente o empresário ainda modesto terá condições de executar uma ação desse tipo.
Ou não?
*Dizem que o boneco abaixo se parece com o editor do Estadão PME, que é quem escreve este post.

Tudo o que sabemos sobre:

Blog do EmpreendedorEstadão PME

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: