O império gastronômico de Jamie Oliver está por um fio?

Daniel Fernandes

13 de fevereiro de 2018 | 11h14


Jornais ingleses divulgaram nos últimos dias dificuldades financeiras envolvendo a rede de restaurantes Jamie´s Italian. Os problemas derivariam de pontos comerciais ruins, perda de clientes e custo altos de aluguéis. Matéria publicada pelo The Times, no último dia 10, informa que o famoso chef confirmou planos para fechar um terço dos 35 restaurantes da marca, totalizando a demissão de 450 funcionários aproximadamente. A rede conta com franquias pelo mundo, inclusive no Brasil, mas não há informações  a respeito de problemas nessas unidades.
Outra reportagem, esta publicada pelo The Telegraph, informa que a decisão faz parte da assinatura, por parte da empresa, de um acordo chamado Company Voluntary Agreement (CVA). Trata-se de um mecanismo que permite companhias com problemas financeiros, ou de insolvência, a estruturar um acordo voluntário com seus credores.
:: Leia mais no Blog ::
Vende-se máquina de brigadeiro
Um dia foram as paletas mexicanas
Ano passado foram fechados 6 restaurantes da marca com alegações de dificuldades devido ao Brexit – a saída do Reino Unido da Zona do Euro – e aumentos de custos devido à desvalorização da libra esterlina na compra de matéria prima da Itália. A estratégia para equilibrar o orçamento da rede seria renegociar alugueis dos pontos, fechar unidades deficitárias, parcelar o pagamento aos fornecedores e honrar com os pagamentos aos funcionários.
Em 2016 já houve na mídia especializada uma antecipação destas dificuldades, quando a celebridade culinária teve que atuar rapidamente e recomprar as franquias na Austrália, no meio de um escândalo de dívidas e problemas com os sócios locais.

Ivan Primo Bornes (ivan@pastificioprimo.com.br) – empreendedor e fundador da rede de rotisserias Pastificio Primo

Tendências: