O impacto social do brincar ao ar livre e o território da criança em São Paulo

O impacto social do brincar ao ar livre e o território da criança em São Paulo

Iniciativa liderada pela empresa de mobiliários urbanos Erê Lab transformou, neste mês, o Parque da Independência de Paraisópolis; equipamentos potencializam desenvolvimento cognitivo infantil

Maure Pessanha

18 de dezembro de 2019 | 10h44

O brincar é uma das atividades fundamentais para o desenvolvimento da identidade e da autonomia da criança, sobretudo no período da primeira infância (de 0 a 6 anos). O Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil defende, inclusive, que a brincadeira favorece a autoestima, contribui para que os pequenos possam exercer a capacidade de criar.

Entretanto, para os filhos de brasileiros e brasileiras em vulnerabilidade econômica esse direito básico é, na maioria das vezes, negado. Ser criança em situação de pobreza é praticamente uma sentença de perda da infância. Da substituição de uma realidade lúdica por um contexto cheio de renúncias. Mas uma iniciativa liderada por um negócio de impacto social mostra que é possível construir uma cidade mais inclusiva e adequada para as crianças. Esse ciclo pode e deve ser rompido.

No início do mês de dezembro, o Erê Lab – em parceria com Canal Gloob, Gloobinho, União dos Moradores e do Comércio de Paraisópolis e Prefeitura – inaugurou o espaço de brincar Coôp-Erê. Instalado na Praça da Independência de Paraisópolis, o parquinho conta com uma área de 170 metros quadrados com balanços para bebês e crianças; escorregador e braquiação; circuito de troncos e cordas que promovem desafios voltados ao desenvolvimento infantil.

Com piso revestido com borracha de absorção de impacto, de acordo com normas de segurança, o espaço possui desenhos inspirados na natureza e na floresta. Jogos tradicionais, como amarelinha, têm lugar garantido para que as crianças possam explorar habilidades e novas formas de diversão.

Equipamentos do Erê Lab no Parque da Independência de Paraisópolis, em São Paulo. Foto: Roni Hirsch

Essa iniciativa liderada pelo Erê Lab representa o lançamento de uma nova metodologia que une atores públicos e privados em prol da criação do território da criança na cidade de São Paulo. O fio condutor da ação é unir pessoas e organizações de maneira democrática, objetiva e com qualidade para fortalecer vínculos no território urbano. No cerne da iniciativa, trabalhar o desenvolvimento da criança nos seus mais diversos aspectos, principalmente, nas dimensões da saúde e educação.

Como mãe de quatro crianças e profissional do ecossistema de negócios de impacto social, tem sido muito gratificante assistir à linda jornada do Erê Lab – empresa que desenvolve mobiliários urbanos lúdicos que potencializam o desenvolvimento cognitivo e psicomotor de crianças, em especial, na primeira infância.

Fundada em 2014 por Roni Hirsch, artista e cenógrafo, e Helo Paoli, artista plástica com experiência em produção executiva ligada à arte e cultura, a empresa cria, produz e instala objetos de pequeno, médio e grande portes, que exploram temas como de brasilidade, para serem instalados em praças, parques e espaços ociosos das cidades.

Esses mobiliários fortalecem o senso de cidadania, o respeito ao espaço público e estimula as interações entre pais e filhos nesses ambientes.

Em cinco anos, mais de 50 espaços de brincar, entre projetos públicos e privados, foram construídos pela dupla de empreendedores. Hoje, mais fortes e determinados do que nunca, os admiráveis Helo e Roni continuam o trabalho de ampliação do acesso ao brincar livre no Brasil.

* Maure Pessanha é empreendedora e diretora-executiva da Artemisia, organização pioneira no fomento e na disseminação de negócios de impacto social no Brasil.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: