O franchising não entra em férias e o empresariado se prepara para o 2º semestre

Para que o desempenho nos próximos seis meses seja melhor, não basta só planejar, é preciso saber executar

Ana Vecchi

08 de julho de 2019 | 14h13

Julho chegou, os estudantes esvaziaram as escolas, com exceção dos que buscam especializações e cursos de extensão, o trânsito melhorou muito, os dias frios estão tomando conta das regiões Sul e Sudeste como nunca visto, as outras regiões vivem suas estações avessas ao inverno, e o mercado repensa o 1º semestre para melhorar os resultados do 2º, que está por vir.

O que aconteceu já sabemos. Tivemos acesso aos números dos setores que nos interessam mais diretamente, tanto do mercado específico como do franchising em geral. Números crescentes trazem um Brasil um pouco melhor que 2018, ainda que o ano que se mostra esquisito, não definido ainda, seja a realidade. A bola da vez é a espera da reforma da Previdência, com expectativa de que ela venha a ser a solução para tempos melhores.

Porém, não adianta justificar com os problemas, entraves, governo ou o que seja e não planejar o segundo semestre, buscar as soluções necessárias e executar. Não basta planejar, vamos executar.

O que vejo pela frente é a, ainda, contínua adequação dos negócios à realidade atual, procurando reduzir custos, inclusive o de ocupação, desenvolvimento de portes menores de franquias, a transformação digital tomando conta das lideranças e exigindo mudança de cultura nos modelos de gestão, alto índice de surgimento de apps e sites responsivos, integração dos pontos de contato com os consumidores, canais de venda e a quebra dos paradigmas, incluindo os mais recentes que já se mostravam consolidados.

A valorização dos jovens na composição do cardápio de negócios, de produtos e novas marcas dá, ao mercado, jovialidade, criatividade, nova visão de negócios e carreiras. Aquele pavor de perder emprego e não se recolocar segue com os mais experientes, mas se abrir para encarar o futuro no presente deve ser aprendido com a galera que considera que dois anos em uma empresa é demais! Sugestão: renovem-se e se joguem em novos projetos!

Ainda pensando em tendências para este ano, vemos uma grande movimentação na criação de novos produtos, fora do portfólio, de uma mesma marca, produtos de lojas físicas ou e-commerce presentes nas gôndolas dos supermercados, o B2C se tornando cada vez mais forte e cortando intermediários. Mas, há um ponto de alerta.

Vejo um certo excesso de interesse em montar franquias monomarca, com um produto apenas. Alguns projetos não vão se sustentar com quiosques em shopping centers, vendendo apenas um produto, sem qualquer variedade de sabor, cor ou tamanho, nem volume de SKU’s que sustentem um negócio. Uma coisa é a venda de um único produto por e-commerce ou na gôndola de mercados, outra é montar um PDV físico, de rua ou shopping e pagar todas as contas que uma loja requer. 

O setor de educação volta a se destacar com novos modelos de escolas. O bilinguismo se projetando e motivando o desejo de investimento e/ou oferta aos filhos destaca a entrada de novas propostas de escolas regulares e a adaptação das existentes, com currículos bilíngues. A Mapple Bear,  coroada como um Great Place to Work, valoriza o sistema de franchising e mostra que a boa educação pode voltar a ser opção de investimento em franquias com maiores chances de bom ROI e um setor que já teve mostras de saturação. Aplicação de jogos de tabuleiro, games e integração de (não tão) novas metodologias e ferramentas de ensino ou treinamento desafiam professores e instrutores, mas trazem outro apelo às salas de aulas. 

Estamos todos provocados a reagir e agir totalmente diferente do que aprendemos nas salas de aulas até cinco anos atrás. Que bom! Continuam sendo os melhores os que saem à frente, sem gambiarras. 

Vamos fazer diferente e a diferença, com e para todos que podemos alcançar. 

Quantos são? Infinito!

* Ana Vecchi é consultora de empresas, CEO na Ana Vecchi Business Consulting, professora universitária e de MBAs, pós-graduada em marketing e com MBA em varejo e franquias. Atua no franchising há 28 anos em inteligência na criação e na expansão de negócios em rede