O Consumo Consciente no Brasil

Daniel Fernandes

24 de dezembro de 2015 | 08h47

Estamos em época de compras de Natal – e no meio de uma crise.

O primeiro pensamento que me ocorre é buscar refúgio no Instituto Akatu, que promove a divulgação de um conceito cada vez mais atual e necessário: o Consumo Consciente.

A ideia básica é que, ao comparar, mensurar e diferenciar os valores e ações praticados por uma empresa (ou pessoa) da qual escolhemos produtos e serviços, assumimos uma postura política na escolha, muito necessária e importante. Comprar é dar apoio, suporte. É o que queremos -e escolhemos- de futuro.

“Ao decidir sobre as seis dimensões do consumo – por que comprar, o que comprar, como comprar, de quem comprar, como usar e como descartar o que não serve mais –, o consumidor está “votando” no mundo em que quer viver. Ao consumir, as pessoas podem usar seu poder de escolha para maximizar os impactos positivos e minimizar os negativos, assumindo assim seu papel de protagonista na construção de um mundo melhor.

E isso é tão simples e bacana! E ao mesmo tempo tão sutil, tão difícil.

Pois ocorre em dezenas ou centenas de pequenos momentos de nosso dia: cada vez que escolhemos uma marca. Seja de uma agua mineral, ou de sorvete, ou uma entrada de cinema. Ou na escolha do programa de rede social preferido. Ou no fabricante de celular. Ou mesmo escolher andar de bicicleta em vez de carro.

A tecnologia, sem dúvida, nos deu muito mais possibilidades de escolha. Afinal, nunca se falou tanto do Uber, do Airbnb, ou dos apps de carona compartilhada. E a internet também permite acessar rapidamente críticas -boas ou ruins- sobre o local ou produto que estamos interessados. E até mesmo podemos facilmente saber quem são as pessoas que fazem o negócio, chegando ao ponto de avaliar as afinidades políticas ou religiosas.

Afinal, o dia é pontuado de centenas de micro decisões de consumo. E perceba que nem todas exigem transferência de dinheiro. Algumas empresas não cobram nada, “apenas” pedem audiência, “views” e “likes”, o que também é consumo. Tudo bem pra você?
O Akatu propõe 12 princípios que reproduzo aqui na íntegra, para nossa reflexão e uso prático:
1. Planeje suas compras
Não seja impulsivo nas compras. A impulsividade é inimiga do consumo consciente. Planeje antecipadamente e, com isso, compre menos e melhor.
2. Avalie os impactos de seu consumo
Leve em consideração o meio ambiente e a sociedade em suas escolhas de consumo.
3. Consuma apenas o necessário
Reflita sobre suas reais necessidades e procure viver com menos.
4. Reutilize produtos e embalagens
Não compre outra vez o que você pode consertar, transformar e reutilizar.
5. Separe seu lixo
Recicle e contribua para a economia de recursos naturais, a redução da degradação ambiental e a geração de empregos.
6. Use crédito conscientemente
Pense bem se o que você vai comprar a crédito não pode esperar e esteja certo de que poderá pagar as prestações
7. Conheça e valorize as práticas de responsabilidade social das empresas
Em suas escolhas de consumo, não olhe apenas preço e qualidade. Valorize as empresas em função de sua responsabilidade para com os funcionários, a sociedade e o meio ambiente.
8. Não compre produtos piratas ou contrabandeados
Compre sempre do comércio legalizado e, dessa forma, contribua para gerar empregos estáveis e para combater o crime organizado e a violência
9. Contribua para a melhoria de produtos e serviços
Adote uma postura ativa. Envie às empresas sugestões e críticas construtivas sobre seus produtos/serviços.
10. Divulgue o consumo consciente
Seja um militante da causa: sensibilize outros consumidores e dissemine informações, valores e práticas do consumo consciente. Monte grupos para mobilizar seus familiares, amigos e pessoas.
11. Cobre dos políticos
Exija de partidos, candidatos e governantes propostas e ações que viabilizem e aprofundem a prática do consumo consciente.
12. Reflita sobre seus valores
Avalie constantemente os princípios que guiam suas escolhas e seus hábitos
Ivan Primo Bornes – fundador do Pastificio Primo e um praticante de consumo consciente (na maior parte das vezes).

Tudo o que sabemos sobre:

Blog do Empreendedor

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: