Negócio democratiza acesso à educação financeira para mudar realidades

Negócio democratiza acesso à educação financeira para mudar realidades

Barkus Educacional compartilha conhecimentos e oferece suporte no desenvolvimento de comportamentos financeiros mais saudáveis

Maure Pessanha

26 de janeiro de 2022 | 17h00

A cidadania financeira é um tema de suma importância no combate à desigualdade. Atrelada a um contexto amplo de inclusão financeira, de proteção ao consumidor de serviços financeiros e com a participação do cidadão no diálogo sobre o sistema financeiro, ela dialoga com a disseminação de informações qualificadas para que as pessoas tomem melhores decisões de como lidar com o dinheiro no cotidiano. Além disso, endereça a complexidade do planejamento familiar no Brasil.

Análise do Plano CDE aponta que a variação de renda das famílias brasileiras pode ser de até 600% entre os meses, considerando as rendas fixa e variáveis. Um negócio de impacto social tem atuado com o objetivo de democratizar o acesso à educação financeira, sobretudo entre a população em situação de vulnerabilidade socioeconômica.

Marden Rodrigues e Bia Santos, fundadores da Barkus Educacional. Foto: Marco Torelli

Fundada por Bia Santos e Marden Rodrigues em 2016, a Barkus Educacional busca compartilhar não só conhecimentos: oferece suporte no desenvolvimento de comportamentos financeiros mais saudáveis. Para isso, uma das ferramentas utilizadas é Iara – um bot humanizado que ensina finanças pessoais por meio de trilhas de aprendizagem individuais e personalizadas ministradas pelo WhatsApp.

Na prática, o apoio tem a missão de melhorar a qualidade de vida dos cidadãos à medida que aprimora a relação deles com o dinheiro. O tema da educação financeira surgiu na vida dos fundadores depois de uma pesquisa que
fizeram no Ensino Médio, em 2012. Anos depois, os jovens perceberam que ter acesso a esse conhecimento foi essencial para melhorarem de vida.

Essa percepção inspirou a criação da edtech. Hoje, com mais de 45 mil pessoas atendidas, o negócio de impacto social utiliza metodologias autorais e, com o apoio da tecnologia, cria soluções educacionais que fomentam novas atitudes, novos conhecimentos e comportamentos financeiros mais saudáveis em jovens e adultos.

O desafio enfrentado por empreendedores no País também é objeto dos conteúdos segmentados em finanças pessoais, investimentos, empreendedorismo, business e lifestyle.

* Maure Pessanha é empreendedora e presidente do Conselho da Artemisia, organização pioneira no fomento e na disseminação de negócios de impacto social no Brasil.

Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.