Não importa de onde você veio, importa para onde você vai!

Daniel Fernandes

22 de março de 2013 | 06h49

Bel Pesce, a Menina do Vale, participou do evento

Mais uma semana de novos ensinamentos dos empreendedores que escrevem para o Blog do Empreendedor do Estadão PME. Pedro Chiamulera da ClearSale trouxe novas reflexões sobre sua paixão em servir o cliente, Renato Steinberg do Fashion.me destacou algo que muitas vezes é difícil para quem é (muito) empreendedor: manter o foco diante de tantas oportunidades.
Juliana Motter falou de algo que é tão presente nas grandes como nas empresas de menor porte, a inércia organizacional, ou seja, as pessoas continuam a fazer as coisas porque isto sempre foi feito daquela forma e a Adriane Silveira tratou do esporte mais praticado pelo empreendedor brasileiro: a burocracia legal e tributária do País.
Mas a semana foi marcada pelo maior evento de empreendedorismo do mundo, o Global Entrepreneurship Congress (GEC), realizado na cidade do Rio de Janeiro entre os dias 18 a 21 de março. O que passou despercebido para milhões de brasileiros foi um momento de celebração sobre o que já foi feito até agora para o empreendedorismo brasileiro e mundial e o que esta por vir.
Muitos empreendedores representaram o que já foi feito nos depoimentos de Abílio Diniz (do Grupo Pão de Açúcar), Brad Feld (Co-fundador da TechStars), Oskar Metsavath (fundador da Osklen), e Hernán Kazah (co-fundador do Mercado Livre), entre tantos outros empreendedores bem sucedidos que dividiram seu conhecimentos com os que estiveram presentes e todos os que quiserem assistir suas palestras, que estarão disponíveis no site da Endeavor Brasil nos próximos dias.
Goste ou não do Abílio, ele é um empreendedor bem sucedido e que agora gosta de compartilhar seus acertos e erros em cursos para formar novas lideranças no Brasil. E esta foi sua principal crítica: Precisamos formar mais líderes no país! Há muita gente sem sonho, sem referência, sem saber o que quer ser. Mas há uma nova geração de líderes que idolatram o Brad Feld.
Talvez você não o conheça, mas a TechStars, uma das empresas que ele fundou, é uma das principais referências do mundo em aceleração de empresas. Feld deixou um recado claro para o governo brasileiro: “O governo deve apoiar os líderes da comunidade de startups, e não tentar controlá-los”.
Oskar Metsavath é o exemplo bem acabado deste tipo de ‘não controle’. O cara começou vendendo roupa de frio na praia de Búzios, e hoje a Osklen, a empresa que ele fundou, é uma das mais respeitas marcas brasileiras de moda no Brasil e no exterior. Será que vamos ter mais ‘osklens’ em outros setores da economia brasileira?
Todos esses empreendedores fizeram coisas incríveis e são exemplos para muitas outras pessoas, mas a palestra da Linda Rottenberg foi arrebatadora. Deve ser vista e revista assim que ficar disponível na internet. É um energético para todos os empreendedores e os que querem empreender. Ela co-fundou a Endeavor Global e os valores que a instituição divulga pelo mundo estão personificados nela e no seu depoimento.
Brilho nos olhos, pensar grande, botar para fazer, inovar e fazer tudo isso com ética é o resumo da sua trajetória como empreendedora resumida ali em emocionantes 20 minutos. Mas tudo o que já foi feito ainda é pouco comparado ao que ainda pode ser feito. E por isto também palestraram novos ícones do empreendedorismo brasileiro e mundial como Felipe Matos (COO da Startup Brazil e fundador da Startup Farm). Ele ajudou a fundar mais de uma centena de novas empresas e está à frente do programa Startup Brasil que visa apoiar o surgimento de outras tantas centenas. Sua atuação pode ser parte da resposta se teremos mais ‘osklens’ em outros setores da economia brasileira.
Dave McClure (Fundador da 500 Startups) também palestrou. Mesmo com os dois pés no Vale do Silício, ele tem a cabeça no Brasil de tanto que vem para cá. Se estamos falando de centenas de startups, a meta dele é apoiar quinhentas novas empresas. E está a caminho. Outro ícone presente foi a Bel Pesce. Autora do best-seller A Menina do Vale, Bel está de volta ao Brasil para contribuir para o desenvolvimento de novos empreendedores. Ela também é parte da resposta se teremos mais ‘osklens’ no País.
Mas acho que nada apresentou melhor o futuro do que a trajetória e palestra do Eduardo Lyra, autor do livro Jovens Falcões – a obra narra como jovens brasileiros, mesmo em situação muito desfavorável, foram e estão sendo muito maiores do que as pessoas que estavam a sua volta eram.
Ele próprio saiu de uma situação miserável, família desestruturada e pai drogado para ser um Global Shaper, desdobramento do Fórum Econômico Mundial que seleciona jovens líderes excepcionais, com menos de 30 anos, que possuem potencial para mudar o mundo.
Para um mundo sem sonho, sem referência, sem saber o que quer ser, a mensagem do Eduardo é a esperança de que teremos mais e melhores empreendedores no futuro: Não importa de onde você veio, importa para onde você vai!
O GEC 2013 pode ser resumido nas palavras do Fábio Barbosa, um dos principais voluntários da Endeavor: “Pense no longo prazo. O que farão será visto e julgado por outros. Um empresário americano me disse, muito tempo atrás, que eu seria julgado amanhã pelo que fiz hoje, mas com os valores de amanhã. Nós somos do tamanho dos nossos sonhos, então, pense grande. Fazendo as coisas certas, você será do tamanho que você sonhar. Como já disse Ghandi: Seja a mudança que você quer ver no mundo”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: