Livro investiga empresas que terceirizam inteligência de inovação para Coca-Cola, Google e Nike

Daniel Fernandes

05 de agosto de 2014 | 10h41


E se esse argumento não é definitivo, que tal esse? Os negócios que são objeto do estudo têm entre clientes gigantes como Natura, Coca-Cola, Nike e Google. ‘É como se grandes corporações estivessem terceirizando a inteligência de inovação para empresas que propagam valores bem diferentes dos seus’, escreve na introdução a autora do livro, a jornalista Mariana Castro.
A proposta da autora é clara, ao investigar negócios como Inesplorato, Perestroika, Mesa & Cadeira e Catarse, ela pretende mostrar como empreendedores, desde que sejam criativos, podem criar para si o tipo de negócio considerado por muitos ideal.
E por falar em negócio ideal, dois aprendizados compartilhados no livro:
> Empresas inovadoras vendem mais que produtos ou serviços. Elas vendem ideias, conceitos e experiências que passam pela forma como seus idealizadores enxergam o mundo e a sociedade.
> O produto ou negócio do empreendedor criativo pode lidar com assuntos que não são inovadores. A diferença está na forma de fazer.
Quer mais? Compre o livro: ele custa cerca de R$ 35.
Daniel Fernandes é editor do Estadão PME e, da meia- noite às cinco da manhã, quando estaria dormindo, costuma ler livros sobre empreendedorismo.

Tudo o que sabemos sobre:

Blog do EmpreendedorEstadão PME

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: