Já fez o diagnóstico do seu negócio neste momento? Um punhado de perguntas para ajudar

Já fez o diagnóstico do seu negócio neste momento? Um punhado de perguntas para ajudar

Reavaliou planejamento financeiro da empresa? Mapeou riscos de inadimplência com fornecedores? Crises exigem decisões rápidas, aponta consultora do Sebrae-SP

Redação

11 de agosto de 2020 | 18h03

Por Claudia Aparecida Brisolla de Barros, consultora do Sebrae-SP

Vivenciamos um período de incertezas e de adaptações, algo que não esperávamos e que de uma hora para outra mudou a rotina de bilhões de pessoas em todas as partes do mundo. A pandemia do novo coronavírus vem produzindo, além de impactos de ordem epidemiológica em escala global, repercussões e impactos sociais, econômicos, políticos, culturais e históricos que nos faz refletir sobre o que será o “novo normal” quando tudo isso passar.

Frente à nova realidade que enfrentamos, com o fechamento de serviços não essenciais, a necessidade isolamento social para alguns grupos e talvez, conforme afirmam especialistas, uma possível necessidade de alternarmos períodos de distanciamento nos próximos dois anos, enquanto não houver vacinas e infraestrutura adequada para enfrentarmos o vírus, as empresas vão se adaptando a esse novo cenário.

São dias de luta e de desafios para o empreendedorismo. Saber lidar com situações de crise de forma criativa e inovadora, além de ter uma postura proativa diante da vida e protagonismo na resolução de problemas são características de empreendedores. Essas características deixam a pessoa mais preparada para lidar com a crise.

Nesse sentido, as lideranças empresariais têm o papel fundamental de despertar comportamentos e atitudes empreendedoras e colaborativas na sua equipe de modo que possam superar esta fase com equilíbrio e com a certeza que apesar de toda crise trazer um risco para o negócio ela também acaba. Crises exigem decisões rápidas. Como adequar o meu negócio? O que fazer com os colaboradores? Como lidar com as contas e os estoques? Como fazer para continuar vendendo? Nada é mais importante agora que conhecer alternativas, decidir e agir rapidamente.

As empresas estão se reestruturando, adotando modelos de trabalho a distância, utilizando novos canais de comercialização e priorizando a busca de estratégias digitais para garantir a posição no mercado e busca de novos clientes. Cada segmento está sendo atingido pela crise de uma forma. Algumas empresas mais impactadas do que outras, mas todas com muitos desafios para sobreviver diante das circunstâncias atuais.

Já revisou sua política de estoques de segurança, de matéria-prima e de produto acabado? Foto: Pixabay

Apresento alguns pontos de reflexão da gestão (gestão de pessoas, finanças, suprimentos e comercial) para o empreendedor observar, elaborar um autodiagnóstico e tomar ações para superar os desafios atuais. Também apresento alguns insights para auxiliá-los na retomada após covid-19 e melhor compreensão das tendências do novo normal na gestão.

Diagnóstico do negócio

  • Quais mudanças devem ser feitas na dinâmica de trabalho para atender ao novo normal?
  • Verifiquei a aplicabilidade das medidas adotadas pelo governo em relação aos contratos de trabalho e remuneração?
  • Estou preparado para liderar equipes a distância?
  • A empresa tem um propósito claro? Estamos tomando decisões durante a crise que nos propicia manter e atrair talentos?
  • Estamos abertos a errar? Estamos criando juntos uma cultura de inovação e riscos que permite que as mudanças aconteçam?
  • Estamos abertos a desenvolver novas conexões de maneira virtual?
  • Como avaliamos medidas de flexibilização do horário de trabalho?
  • Reavaliei o planejamento financeiro?
  • Verifiquei o fluxo de caixa projetado? (performance do contas a receber e novas projeções de vendas)?
  • Analisei as alternativas de liquidez imediata (bancos, fornecedores, impostos e folha de pagamento)?
  • Mapeei os riscos de inadimplência por parte da empresa em contratos com fornecedores e clientes?
  • Avaliei a situação dos principais fornecedores, estoques atuais e planos para assegurar suprimento futuro?
  • Revisei a política de estoques de segurança, de matéria-prima e produto acabado, de modo a mitigar riscos de abastecimento?
  • Avaliei como a inovação e a transformação digital podem gerar novas fontes de receita e criar novos canais de comunicação com meus clientes?
  • Revisei a minha capacidade de TI frente a uma operação muito mais digitalizada?
  • Avaliei o desenvolvimento de novos canais de vendas (e-commerce e marketplace)?
  • Revisei as categorias e portfólio de produtos para adequação aos novos hábitos do consumidor?

Insights para inovar no negócio

As soluções corporativas para essa nova perspectiva são das mais variadas e apontam tendências a serem observadas pelos empreendedores a fim de posicionar o seu negócio para ser resiliente e se ajustar ao novo normal. Vejamos alguns insights:

  1. Home Office: Devido à quarentena, muitas empresas que não trabalhavam com a modalidade antes da crise devem adotar o modelo de maneira definitiva no pós-crise, considerando diversos benefícios do trabalho a distância: menos tempo no trânsito; maior produtividade e flexibilidade de horário.
  2. Espaço Físico: Por causa dos efeitos econômicos gerados pela pandemia ou pela experiência bem sucedida do home office haverá uma redução dos espaços físicos dos escritórios e ao mesmo tempo a necessidade maiores espaços para manter o distanciamento entre as pessoas para as empresas que mantiverem o modelo presencial.
  3. Comportamento do consumidor: Durante a quarentena novos hábitos foram adotados por boa parte da população brasileira e alguns deles serão mantidos, tais como: higienização de modo geral, cursos online, cozinhar, busca por novos conhecimentos. Também há uma forte tendência para a revisão de crenças e valores.
  4. Novos modelos de negócios: Reinvenção de restaurantes, lojas físicas de varejo, academias, cinemas e teatros, shows, eventos esportivos e outros. A preocupação com saúde e o receio de contaminação ainda vai permanecer por algum tempo, pelo menos até o desenvolvimento de uma vacina ou cura para a covid-19.
  5. Tendências setoriais: Com o comportamento do consumidor favoravelmente alterado durante a crise determinadas empresas seguem crescendo, principalmente empresas que fornecem produtos essenciais (alimentos, bebidas, higiene e medicamentos). Outras empresas vistas como essenciais e que sofrem devido a necessidade do distanciamento social retornarão ao normal na medida que a demanda do consumidor retornar em volumes semelhantes. Temos um outro grupo de empresas que levarão um período maior para recuperação, precisando de reservas de capital para resistir e transformar modelos operacionais e de negócios alinhados com as mudanças nas prioridades e nos novos padrões de comportamento do consumidor, chegando algumas tendo que reiniciar.

Para a retomada dos negócios e dos resultados é muito importante que em momentos como esses que estamos passando, que o empreendedor tenha resiliência e foque os seus esforços para superar os desafios e buscar informação confiável e relevante para antecipar os impactos e ter subsídio suficiente para a tomada de decisões assertivas.

Pensando nisso, é importante entender os diferentes efeitos da crise, os desafios e tendências que devem ser considerados neste período de instabilidade, agir e buscar uma visão de futuro positiva.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: