Google pesquisa equipes de sucesso

Daniel Fernandes

24 de julho de 2017 | 12h48

Uma das iniciativas mais interessantes do Google é o Projeto Aristóteles, que pesquisa o que de melhor e mais genial acontece dentro da imensa empresa, com o objetivo específico de identificar e codificar os segredos das “equipes de sucesso”.

Ou seja, Google quis saber porque algumas equipes são excelentes e outras ficam para atrás, mesmo que os indivíduos que fazem parte de todas as equipes sejam excelentes Para isso, o Projeto Aristóteles acompanhou 180 equipes por 2 anos, e realizou inúmeras entrevistas. Apesar de não encontrar o tão sonhado algoritmo infalível para formar uma equipe perfeita, ficou claro que as melhores equipes não são formadas juntando as pessoas “mais qualificadas” com base no currículo, e sim que uma equipe de sucesso tem inteligência coletiva, ou seja, habilidades que aparecem na colaboração entre os membros.
Julia Rozovsky, gerente de análise de pessoas do Google, fez um favorzão e resumiu as 5 características fundamentais para uma equipe vencedora:
1. Confiança. Os membros da equipe estão comprometidos entre eles, fazem o que têm que ser feito, cumprem prazos, e atendem às expectativas entre si.
2. Estrutura e Clareza. Equipes de alta performance têm metas claras, e as pessoas têm papéis bem definidos no grupo, independente da hierarquia.
3. Significado. O trabalho tem importância essencial na vida de cada membro.
4. Impacto. O grupo acredita que o trabalho tem um propósito para um bem maior.
5. Segurança Psicológica. Isso mesmo, na base de tudo está a segurança. As pessoas que fazem parte das equipes de maior sucesso e eficiência se sentem seguras dentro do grupo. Fácil de entender quando imaginamos uma reunião com pessoas que ficam competindo entre si, e temos medo de sermos apontados por nossos erros, e guardamos ideias ou perguntas importantes por puro desconforto ou timidez. Agora imagine uma situação totalmente diferente, onde todos estão seguros para falar, para errar, para aceitar uma crítica, onde os gerentes criam zonas seguras onde as suas equipes podem baixar a guarda. Isso é segurança psicológica, e faz todo sentido.
Curioso para pesquisar mais? Vale a pena ler o artigo completo no NY Times.
Como disse Aristóteles, homenageado no nome do Projeto do Google, “o todo é maior que a simples soma das suas partes”.
Ivan Primo Bornes – empreendedor e fundador da rede de rotisserias Pastifício Primo (www.pastificioprimo.com.br) ivan.primo@pastificioprimo.com.br

Tudo o que sabemos sobre:

Blog do Empreendedor

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: