Evento leva ecossistema do franchising brasileiro uma vez ao ano para a Bahia

Evento leva ecossistema do franchising brasileiro uma vez ao ano para a Bahia

Para especialista em franquia, há uma crescente defesa da corresponsabilidade entre franqueador e franqueado, que, quando bom gestor, pode agregar muito à marca

Ana Vecchi

17 de outubro de 2019 | 10h06

De 23 a 27 de outubro, teremos a Convenção do Franchising, na Ilha de Comandatuba, no sul da Bahia, que mais parece o quintal de nossa casa de tão familiarizados que estamos com ela e com tudo de fantástico que ela representa e nos oferece, tanto em termos de natureza quanto em ser a ilha da fantasia do franchising brasileiro. No bom sentido, lógico.

A magia dos conteúdos compartilhados, palestrantes ilustres, a presença de franqueadores consolidados e muitos de seus executivos, de recém-nascidos a adolescentes aprendizes de gestão de rede, consultores, arquitetos, advogados, fornecedores em geral e alguns franqueados inspiradores ou influenciadores (hoje em dia).

Nesta ilha, por quatro dias, há um verdadeiro ecossistema e seus biomas buscando informações e ferramentas que fomentem positivamente ou evitem que a alteração de um único elemento possa causar modificações em todo o sistema, podendo ocorrer a perda do equilíbrio existente.

Juntos viemos e estamos construindo o bom franchising, responsável e criterioso, assim como o social. Sempre discutimos a gestão e a operação dos negócios, como formatá-los, como replicar o conhecimento, implantar e gerenciar padrões, se é melhor dar suporte/supervisionar ou contar com a colaboração dos franqueados sobre como fazer melhor.

E a receita nunca esteve 100% pronta, e nunca estará, no que tange a gestão de redes franqueadas, modelos de negócios, perfil de franqueados, ferramentas, processos, procedimentos e indicadores porque existem as tendências, a tecnologia, o comportamento do consumidor que muda com muita frequência, a concorrência que vive inventando moda e, finalmente, a tal da inovação!

Evento da ABF em 2018 em Comandatuba, na Bahia. Foto: Keiny Andrade

Com a inovação, como premissa básica de qualquer possibilidade de sobrevivência em um mercado de concorrência acirrada, fica impossível assumir que a gestão de uma rede franqueada é formatada, engessada e que um franqueador seria sempre o dono da verdade. A corresponsabilidade de franqueadores e franqueados pelo sucesso da rede já é defendida por muitos de nós, portanto a interferência positiva de franqueados – bons gestores – pode agregar muito valor à marca, rede e negócio como um todo.

Portanto, se o mercado, a economia e o consumidor mudaram, os modelos de gestão de anos atrás não fazem mais sentido há tempos! O perfil de franqueados talvez não tenha mudado tanto, pois são pessoas em busca de investir no próprio empresariado e seres humanos tendem a demorar mais para mudar comportamentos pela questão emocional, cultural e/ou psicológica.

Nesses quatro dias vamos tratar de escalabilidade, inovação, design, elementos transformadores, gestão de pessoas, multifranqueados, as novas formas de comunicação com a rede, a integração de multicanais e dezenas de outros assuntos que valerão o investimento. Sem falar do network, o quanto a gente troca de ideia na piscina, nas caminhadas na praia e como nos descobrimos tão amigos nas festas e baladas.

O show vai ser imperdível e os artigos, pós-convenção, reveladores de novidades e notícias boas! Assim espero!

* Ana Vecchi é consultora de empresas, CEO na Ana Vecchi Business Consulting, professora universitária e de MBAs, pós-graduada em marketing e com MBA em varejo e franquias. Atua no franchising há 28 anos em inteligência na criação e na expansão de negócios em rede

Tendências: