Estou indo para o lado certo?

Daniel Fernandes

06 de maio de 2015 | 11h43


Leo Spigariol escreve toda quarta-feira no Blog do Empreendedor
“Na noite passada, sonhei que estava espremido num desfiladeiro, atravessando o deserto. Era um longo caminho. Olhava para o alto e só via o céu distante, nada mais. De baixo, notei que o desfiladeiro era profundo. E não havia caminho de volta. Deveria seguir adiante. Estava já há uns bons dias na caminhada, muito perto de algum lugar depois do desfiladeiro. Estava muito próximo de chegar ao meu destino.
O desfiladeiro era verdadeiramente comprido, estreito, cercado por longas paredes. E minha água escasseava, havendo talvez o suficiente para chegar ao outro lado. Talvez.
Então ouvi um estrondoso som ao longe, vindo a minha frente, muito à frente. Eram cascos em patas batendo ensandecidas no solo, reverberando pelas pedras e o solo batido e empoeirado, encobrindo minha respiração e as batidas de meu coração.
Era uma onda de ruminantes. Era imensa.
Eles vinham entorpecidos. Entrei em pânico. Por que eles vinham em minha direção? Atrás de mim não havia nada! Era tudo horrível, seco, desgastado. Assim mesmo eles corriam desembestados.
Eles deveriam dar meia-volta, porque de onde eles vinham havia algo. Ou não havia? Eu sei que havia algo.Se eles estavam fugindo, estavam agindo de forma estúpida. Ou será que de onde vinham o mundo era pior? Não sei. Só sei que eu sabia que deveria continuar.
Eles se aproximavam, enquanto eu elucubrava, delirava, refletia, ou sei lá o quê. Estavam muito próximos e eu não tinha por onde escapar. O que fazer? Eu não queria retornar. Não podia. Se me mantivesse ali, parado, seria pisoteado.
Eles chegaram, me arrastaram, e eu gritava e esperneava desesperadamente, tentando alguma solução para continuar minha caminhada, ou pelo menos me manter ali, esperando que passassem e o desfiladeiro silenciasse. Mas nada. Eu não tinha forças, não havia um espaço livre, e eles eram avassaladores. E estavam errados.”
Achei bem pertinente compartilhar com vocês esse pequeno conto, escrito pelo amigo e sócio, Ruis Vargas cheio de significados e com uma bela interpretação sobre a crise. Confesso que acordo todas as noites me questionando: estou indo para o lado certo? E você?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: