Escute o cliente, adapte a empresa, atenda as necessidades, seja lembrado

Escute o cliente, adapte a empresa, atenda as necessidades, seja lembrado

Para consultor do Sebrae-SP, esse é o momento de aprimorar a comunicação, adequar serviços e, mesmo sem ter produto a vender na quarentena do coronavírus, fazer parte do dia a dia do cliente

Redação

01 de abril de 2020 | 09h53

Por Taís Camargo, consultora do Sebrae-SP

Muita coisa mudou em muito pouco tempo e as ações das empresas tiveram que ser aceleradas, mas muitos ainda não encontraram por onde começar. Planejamento, marketing, gerir pessoas, buscar alternativas e parcerias para não deixar a empresa parar, desafios para os negócios e para os empreendedores em tempos de crise do novo coronavírus. São muitas as recomendações, mas quais as dicas que podemos aplicar agora mesmo e que trarão resultados?

Sabemos que é um momento difícil, delicado, atípico, e nossa primeira dica é tenha calma. Quando nos acalmamos conseguimos observar, entender, ouvir. E ouvir que nesse momento o seu cliente precisa de solução para vender, para atender.

Falando neles, eles são o motivo para sua empresa existir e, nesse momento, precisam de atenção e que você também entenda qual problema sua empresa resolve para ele. Pergunte o que ele precisa, escute e adeque sua empresa. Você não fazia delivery? Agora tem de fazer! Não atendia via WhatsApp? Disponibilize seu telefone! Acredita que possa ajudar de outras maneiras? Conte para seu cliente.

Realize divulgação para quem está perto de você. Entre no Google Maps e veja os prédios que estão à sua volta. Peça para entrar nos grupos do WhatsApp dos moradores, pois pode resolver o problema de muitos, com seus produtos e serviços. Com isso você também otimiza suas entregas.

Estar nas redes aumenta a visibilidade do seu negócio, sendo a quarentena um ótimo momento para aprimorar a comunicação. Foto: Unsplash

A segunda dica é seja visto. Redes sociais, site, WhatsApp, cadastro de clientes. Use esse contato para comunicar o que sua empresa está fazendo nesse momento, diga como seu cliente pode te acessar. A comunicação é o fator essencial para ser comprado e, mesmo que sua empresa não esteja vendendo nesse momento, precisa continuar fazendo parte do dia a dia de seus clientes.

Disponibilize uma listagem de empresas que estão realizando entregas, que podem atender as demandas e necessidades de seu público e compartilhe em suas redes sociais e listas de transmissão de WhatsApp. Mostre que você está atuante e que faz parte de uma comunidade, que se importa, que está em busca de resolver.

Crie kits, combos, descontos progressivos, aumente o valor de seu tíquete médio. Apresente opções que ajudam seus clientes a resolver o problema de forma fácil e a lembrá-lo de alguns produtos ou serviços que ele poderia esquecer.

Comunique seus clientes de novidades e de ações novas e também pergunte a ele o que está achando de seu trabalho, sua forma de entregar os produtos e serviços. Crie um diálogo, pois nesse momento há muitas pessoas sozinhas em casa, seja a sua companhia. Faça com que a comunicação seja leve, atrativa (grave vídeos) e tenha uma frequência.

Você ainda não está nas redes sociais? Esse é o momento de entrar. Escolha as que são mais acessadas (Facebook e Instagram) e comece suas ações.

Nesse momento surge a oportunidade de vender online. Se você ainda não tem um site de venda ou utiliza as plataformas de marketplace, pode ser um bom momento para entrar em uma delas. Analise as possibilidades e as taxas, precifique seus produtos para esses novos custos e lembre-se: no marketplace você só paga taxas se vender, então o que você tem a perder?

Dica três: planejamento. Esse momento é de planejar. Planejar seus atendimentos, processos, como gerir seus funcionários, como administrar suas finanças. Manter-se informado, de fontes seguras, e tomar as decisões planejando o hoje, o amanhã e o retorno das atividades. A necessidade fez com que o planejamento ficasse em foco, portanto aproveite e escute sua equipe, pois as propostas para novas ações podem e devem vir de quem está perto dos clientes.

Olhe para dentro da empresa e busque alternativas na redução de custos, planejamento de fluxo de caixa, gestão de pessoas e otimização de processos. A crise vai passar e o planejamento fará com que sua empresa carregue as experiências e as oportunidades desse período.

Planeje suas parcerias. As empresas que estão perto de você podem ser seus clientes, podem entregar juntos, podem dividir custos, podem partilhar experiências. Agora é hora de encontrarmos soluções em conjunto.

Última dica: negociar. Essa é a palavra de ordem para as ações internas da empresa. Negocie com seus funcionários, fornecedores, o aluguel, as contas de água, luz, com os bancos. A negociação é uma ótima opção para os dois lados e mantém o fôlego até essa crise passar. Nesse item incluímos as opções de crédito que estão sendo disponibilizadas, especialmente para esse período, elas vão fazer a diferença para a manutenção e o fôlego das empresas.

Começamos com calma e esperamos que as dicas possam contribuir para que você tenha encontrado caminhos para mantê-la, sempre lembrando que o Sebrae está ao lado dos empreendedores e empresários das micro e pequenas empresas, agora por nossos canais digitais e a distância. É, nós também estamos nos adequamos para estarmos presentes nesse momento. Conte conosco, você não está sozinho.

* Tem uma dúvida? Quer sugerir um tema? Escreva para pme@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: